Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de M*

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de M*

10
Jan19

O Carro do Amor x First Dates.

O meu namorado, o M., começou a ver Casados à Primeira Vista muito por minha culpa. Inicialmente, o programa passou-me completamente ao lado mas, com o tempo e a projecção que o mesmo tomou, acabei por me render a ele e comecei a acompanhar as emissões dos diários d' Casados à Primeira Vista. Não assisti à relação bombástica entre Lídia e Francisco e apanhei as últimas semanas do casamento entre Sónia e João e frases machistas do senhor Conde. O certo é que, se inicialmente, tanto ele como eu que não tínhamos qualquer interesse no programa, deixávamo-nos viciar e reservávamos os domingos à noite para acompanharmos os casais e conhecermos os conselhos matrimoniais. 

 

vs_770x433_acf_cropped.jpg

(imagem: MAGG)

 

No fim-de-semana passado decidimos roubar tempo à nossa noite para vermos as gravações de O Carro do Amor, da SIC, e First Dates, da TVI. Eu não tinha visto nenhum deles, durante a semana, e ele desde que estreou, acompanha o primeiro. Pessoalmente, nem um nem outro me agradaram. Ficamos fã d' Casados à Primeira Vista e achamos que estes dois são um bocadinho, assim que, para o parvo. Ele, apesar de tudo, prefere ver isto do que o já repetitivo Preço Certo, da RTP. O primeiro parece ser o mais engraçado dos dois, o segundo é curto e parece não incentivar ao conhecimento - é mais decotes e atracção sexual que se salienta. Confesso que, embora eu jamais conseguisse participar em qualquer um destes programas, se participasse no Carro do Amor, não poderia ser a condutora do automóvel: não gosto de conduzir com estranhos, focando a minha atenção na condução e menos em conversar e, com os nervos, provavelmente acabaria por ter um acidente. 

 

Os canais de televisão encontraram um novo chamariz de audiências: o amor. Infelizmente, o verdadeiro e puro amor jamais poderá ser encontrado no meio de câmaras televisivas e números de audiência. A agitação dos nossos dia-a-dia, as exigências que muitos de nós colocam no parceiro, a proliferação das redes sociais que parecem convidar à solidão, levam a uma cada vez maior banalização do amor... com uma semana de namoro, a palavra "Amo-te" torna-se insignificante. O amor é muito mais do que assistimos em Casados. Os primeiros passos na construção de uma relação de amizade e amor são muito mais elaboradas do que os jogos do carro. A vida real é cheia de complexidades, altos e baixos, que os programas televisivos jamais conseguirão captar. Não sei quantos mais programas do género nascerão sob a premissa do amor mas parece que veio para ficar... e creio que a sociedade não fica mais rica por isso.

companhia literária...

10 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

| A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida. Fernando Pessoa. |

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Mensagens

Sigam-me

Facebook