Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um Mar de Pensamentos

... nasce do desejo inconstante de partilhar um pouco de mim e do que sou numa espécie de diário. Resumo-me em: Maria, 32 anos, signo gémeos, amante de livros, sonhadora, romântica, dramática q.b., viciada em chocolates.

Um Mar de Pensamentos

... nasce do desejo inconstante de partilhar um pouco de mim e do que sou numa espécie de diário. Resumo-me em: Maria, 32 anos, signo gémeos, amante de livros, sonhadora, romântica, dramática q.b., viciada em chocolates.

Da história dela e dos meus medos.

Eu não sabia os motivos, até à uns dias, quando por entre lágrimas e soluções, ela revelou que ele a traiu porque a atracção física já não existia. Uma relação de três anos que chega ao fim e em que, segundo ele, embora a ame, não sente atracção por um corpo demasiado cheio.

Ela chorava pelas duras palavras dele enquanto, nós, as amigas, a lhe dizíamos que era o melhor e que não podia deixar que aquelas palavras a afectassem. Como se fosse possível esquecer tais humilhantes palavras. Dizia que não conseguia viver sem ele e nós tentávamos convencer que um homem que a julga pelo aspecto físico não a merece. Se, em vez de usar as palavras e a traição, a tivesse ajudado a perder peso... mas não, ele optou pelo caminho mais fácil. Quantos não optam pelo caminho mais fácil? 

 Ela chorava como se o mundo fosse terminar naquele momento... e, no lugar dela, quem não o faria ou não sentiria o mesmo? Palavras duras que ficam gravadas na memória e medos que nascem deste final. Entre soluções, dizia que deveria ter tido mais cuidado, que a culpa era dela, que se desleixou... e nós, à procura das palavras correctas, dizimo-lhe que ela já era assim quando se conheceram. 

 Esta é a história de uma amiga cujo o factor 'excesso de peso' foi determinante (ou um mero argumento para fugir à culpa) para o fim de uma relação. Enquanto ela chorava foi-me impossível ignorar os meus medos. Também eu tenho medo de um dia viver o mesmo ou que o meu corpo não seja suficientemente atraente para que a vida me permita conhecer alguém... *

 

* (e, sobre este medo e a rejeição, uma experiência social)

4 comentários

  • Imagem de perfil

    M* 06.10.2014 11:02

    Infelizmente, a maioria não pensa assim... sobretudo os homens. 

    Basta ver a tal experiência social... Image é triste  maneira como eles tratam a rapariga só porque não é exactamente igual ao que imaginavam. O corpo ainda conta muito. É factor de atracção.
  • Imagem de perfil

    Magda L Pais 07.10.2014 09:21

    desta experiência social que falas fica-me uma dúvida: eles foram-se embora porque ela era gordinha ou foram-se embora porque a pessoa que encontraram não era a da foto? é que, se for o segundo caso, pode ser apenas porque se sentiram enganados. 


    Acredita que muitos homens pensam exactamente o mesmo que eu. a beleza exterior e interior completam-se mas a percepção da beleza exterior vai-se alterando, para melhor ou pior, conforme vais a beleza interior da pessoa. 
  • Imagem de perfil

    M* 07.10.2014 09:49

    Confesso que também não tenho a melhor experiência... de longe o caso relatado, mas com pequenas semelhanças. Bom, creio que é também tudo uma questão de gostos e da forma como foram educados...  


    Quanto à experiência, não sendo perita em inglês e pelo que consegui perceber, o problema foram ambas as coisas. Eles sentiram-se enganados porque não contaram com alguém como ela... Mas, de facto e tal como se escreve no texto, ainda à muitos homens com medo de mulheres gordas e receio das opiniões de amigos, colegas e até da família (lembrei-me de uma novela que passa na SIC, Amor à Vida, em que uma das personagens é bastante gordinha e é rejeitada pela família do namorado). 
  • | comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.