Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Pensamentos

... nasce do desejo inconstante de partilhar um pouco de mim e do que sou numa espécie de diário. Resumo-me em: Maria, 32 anos, signo gémeos, amante de livros, sonhadora, romântica, dramática q.b., viciada em chocolates.

Um Mar de Pensamentos

... nasce do desejo inconstante de partilhar um pouco de mim e do que sou numa espécie de diário. Resumo-me em: Maria, 32 anos, signo gémeos, amante de livros, sonhadora, romântica, dramática q.b., viciada em chocolates.

Uma Paixão Chamada Livros, 25/40.

Dia Vinte e Cinco

 

imagem desafio livros.jpg

 

 

Top cinco de escritoras favoritas...

 

Contrariamente ao dia anterior, onde a dificuldade residia na constatação de poucos livros escritos por homens na minha estante, a dificuldade relativamente à questão de hoje é seleccionar somente cinco mulheres escritoras. A verdade é que tenho a minha queda literária é a de ler mais mulheres e, como no caso das seleccionadas, quando gosto muito da forma de escrita ou de um livro, a tendência é explorar todos os seus livros. O meu top cinco de escritoras favoritas e das quais li mais do que um livro, são e sem qualquer ordem... 

 

Lesley Pearse

les.jpg

 

Jodi Picoult

jodi_picoult_-_web.jpg

 

Isabel Stilwell

isabel.jpg

 

Julia Navarro

_julianavarro_da3bfbdf.jpg

 

Kristin Hannah

Kristin-Hannah2.jpg

 

Porém, antes de concluir este post e por forma a ser totalmente justa, referência às escritoras Jojo Moyes, Dorothy Koomson e Philippa Gregory. Não posso, simplesmente, exclui-las do meu post porque, à excepção da primeira, li mais do que um livro ou tenho outros para ler em lista de espera. Escritoras que admiro e das quais adoro a escrita mas, por se tratar de um top cinco, limitei-me ao exigido... e, no entanto, não as consegui esquecer. 

 

philippa-gregory-sm_Fotor_Collage.jpg

___

 

O desafio Uma Paixão Chamada Livros consiste em responder a quarenta questões sobre, tal como o título indica, livros. O desafio começa no dia 1 de Fevereiro, decorrerá nos dias úteis, sendo publicado às 15 horas. 

 

O amor pelos livros e pela leitura é partilhado nos blogues Magda PaisNathyJust SmileThe Daily MiacisMulaMiss FMarcianoAlexandraJPDrama QueenFatia MorCMAna RitaMJTeaCarla B.Neurótika WebbNoqeCaracolMorena e As Minhas Quixotadas onde podem consultar as suas escolhas literárias.  

Uma Paixão Chamada Livros, 15/40.

Dia Quinze

 

imagem desafio livros.jpg

 

Um livro que custou a ler...

 

Há livros que nos marcam pela intensidade narrativa, marcando-nos e tornando-se complexos de ler. Não significa, porém, que se tratem de livros negativos ou que não se tornem nos nossos preferidos mas que, pela história que nos custou a ler, jamais esqueceremos. 

 

Livros sobre o Holocausto são, regra geral, dos livros que mais me custam ler... e é, no entanto, uma das minhas temáticas literárias que mais adoro ler. Outras das temáticas que não resisto a ler mas que, porém, me custam sempre a ler é sobre o estatuto das mulheres na religião Muçulmana ou sociedades orientais... na verdade, tudo o que sejam relatos de violência sobre mulheres. Livros onde a guerra, a escravatura ou a violência contra pessoas por questão de idade, cor de pele, nacionalidade, ideologia, orientação sexual, etc., são livros que me despertam a curiosidade e me custam a ler... no fundo, tudo o que sejam relatos baseados em factos reais, de violência contra pessoas por motivos mil. Não lhes resisto a ler e, no entanto, são dos livros que mais me custam a ler.

 

É, portanto, difícil seleccionar apenas um livro que me custou a ler... e assim, aqui fica a minha lista de livros que me custaram a ler,

 

Untitled.jpg

  

O Regresso de Victoria Hislop

O Rouxinol de Kristin Hannah

O Que é o Quê de Dave Eggers

Nunca Me Esqueças de Lesley Pearse

Deste Lado da Luz de Colum Mc Cann

A Contadora de História de Jodi Picoult

Dispara, Eu Já Estou Morto de Julia Navarro

O Rapaz do Pijama às Riscas de John Boyne 

Mil Sóis Resplandecentes de Khaled Hosseini 

Um Comércio Respeitável de Philippa Gregory

A Bibliotecária de Auschwitz de Antonio G. Iturbe

 

___

 

O desafio Uma Paixão Chamada Livros consiste em responder a quarenta questões sobre, tal como o título indica, livros. O desafio começa no dia 1 de Fevereiro, decorrerá nos dias úteis, sendo publicado às 15 horas. 

 

O amor pelos livros e pela leitura é partilhado nos blogues Magda PaisNathyJust SmileThe Daily MiacisMulaMiss FMarcianoAlexandraJPDrama QueenFatia MorCMAna RitaMJTeaCarla B.Neurótika WebbNoqeCaracolMorena e As Minhas Quixotadas onde podem consultar as suas escolhas literárias. 

Uma Paixão Chamada Livros, 11/40.

Dia Onze

 

imagem desafio livros.jpg

 

Um livro inspirador...

 

É-me dificil definir somente um livro insipirador. Apaixonada pelos livros, encontro mais do que um livro inspirador e todos eles, mesmo os considerados maus livros, são fontes de inspiração... existe sempre uma lição a tirar de uma narrativa. No entanto, os livros que mais me marcaram e me inspiraram a mudar, acreditar ou sonhar são, igualmente, os meus livros favoritos...

 

capa-jane-eyre_Fotor_Collage.jpg

 

Jane Eyre de Charlotte Brontë

A Filha da Minha Melhor Amiga de Dorothy Koomson

A Sombra do Vento de Carlos Ruiz Zafón

Estrada da Noite de Kristin Hannah

O Principezinho de Antoine de Sanit-Exupéry

A Bibliotecária de Auschwitz de Antonio G. Iturbe

Nunca Me Esqueças de Lesley Pearse

Viver Depois de Ti de Jojo Moyes

Mil Sóis Resplandecentes de Khaled Hosseini 

 

___

 

O desafio Uma Paixão Chamada Livros consiste em responder a quarenta questões sobre, tal como o título indica, livros. O desafio começa no dia 1 de Fevereiro, decorrerá nos dias úteis, sendo publicado às 15 horas. 

 

O amor pelos livros e pela leitura é partilhado nos blogues Magda PaisNathyJust SmileThe Daily MiacisMulaMiss FMarcianoAlexandraJPDrama QueenFatia MorCMAna RitaMJTeaCarla B.Neurótika WebbNoqeCaracolMorena e As Minhas Quixotadas onde podem consultar as suas escolhas literárias. 

Doze livros de dois mil e quinze.

Dois mil e quinze, por diversos motivos, revelou-se um ano produtivo a nível de leituras. Li, contabilizado no Goodreads, cinquenta e cinco livros. A minha meta pessoal, segundo outros aspectos - porque a vida não se limita a livros -, era de vinte livros. Não leio para atingir metas ou completar desafios, leio pelo prazer de ler, pela companhia que me proporcionam. Não me canso de repetir e de o mencionar aqui que, para mim, livros são essenciais para o meu bem-estar, uma droga saudável, universos que conheço sem abandonar a vida real.

 

Mas... deixemos o blablabla, e falemos do que realmente importa: o meu top doze de melhores livros do ano.  

 

A ideia era publicar esta lista no início do próximo ano quando, de facto, dois mil e quinze tivesse terminado e não corresse o risco de encontrar um livro para acrescentar à lista depois da sua publicação. Porém, a verdade é que não pretendo iniciar nenhum novo livro antes do início de dois mil e dezasseis. Porquê? Simples: estou à espera de dois novos livros para a minha estante e que talvez só cheguem nos primeiros dias de Janeiro, dos quais um aguardo com enorme ansiedade e será a primeira leitura do ano que se avizinha - Guia Astrológico Para Corações Partidos (Sílvia Zucca), o tal que me está a deixar morta de curiosidade, e Quando Hitler Roubou o Coelho Cor-de-Rosa (Judith Kerr) - e, por fim, porque ainda não terminei os dois livros de contos, em língua espanhola, da saga A Seleção. É, portanto, com toda a segurança que posso publicar o meu top doze de melhores livros de dois mil e quinze. Não existe ordem de preferência; os livros apresentam-se pela ordem em que foram lidos...

 

Untitled.jpg

 

Top 12 dos Melhores Livros de 2015

 

 A Menina Que Fazia Nevar de Grace McCleen

 O Menino de Cabul de Khaled Hosseini

 Nunca Me Esqueças de Lesley Pearse

A Bibliotecária de Auschwitz de Antonio G. Iturbe

Perguntem a Sarah Gross de João Pinto Coelho

 Travessuras da Menina Má de Mario Vargas Llosa 

Jane Eyre de Charlotte Brontë

 Orgulho e Preconceito de Jane Austen

Viver Depois de Ti de Jojo Moyes

 A Contadora de Histórias de Jodi Picoult

saga A Seleção - A Seleção, A Elite e A Escolha (aguardo pela publicação, em Portugal, de A Herdeira) - de Kiera Cass

O Rapaz Que Venceu Salazar de Jacinto F. Matias

 

O ano que termina foi rico e variado em leituras: descobri os romances históricos de Lesley Pearse, aventurei-me na distopia de Kiera Cass, arrisquei nos clássicos, li mais escritores portugueses e três dos meus livros favoritos do ano relacionam-se com a temática da II Guerra Mundial (4, 5 e 10). Cada um destes livros tornou-se inesquecível pela forma como me cativou e empolgou na leitura. Livros que recomendo... sem hesitações, acreditando na energia das suas personagens e no poder da história por forma a cativar quem os lê.

 

Desejo, para o meu dois mil e dezasseis, novas e inúmeras aventuras e ser capaz de manter o ritmo da leitura... os restantes desejos guardo-os para mim. 

 

Para conhecerem os cinquenta e cinco livros que li em dois mil e quinze podem consultar a minha página no goodreads ou no facebook do blogue.