Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de M*

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de M*

É estranho, Vida.

Janeiro 12, 2016

A vida é um caminho estranho. Dou comigo, sem o desejar, a imaginar como seria a minha vida presente se nas pequenas escolhas do dia-a-dia de um passado tivesse optado por outro caminho. Os tais E Se... da vida.

 

Lembro-me, em menina, de desejar nunca crescer. O mundo dos adultos era assustador, chato, aborrecido. Queria permanecer menina. Não me imaginava mulher carregada de responsabilidades. Não tinha presa em crescer. Não queria, nunca quis, ter dezoito anos para tirar a carta de condução e fazer as coisas de adolescentes. 

 

Pergunto-me... e se tivesse desejado crescer como ansiavam os meus amigos de infância? 

 

A vida é um caminho estranho. Imagino-me com dezoito anos. Não passava de uma menina grande, a fingir ser adulta, receando os novos caminhos da vida. Considerava-me decidida. Hoje sei-o... nunca consegui assumir verdadeiramente o controlo da minha vida. Na verdade, desconfio que não conseguimos controlar os estranhos caminhos que seguimos... por mil voltas que tomemos.

 

E se, naquele dia de menina-mulher, me tivesse negado a tirar a carta de condução? E se, naquela candidatura à Universidade tivesse optado por seguir o sonho que, tal como hoje, terminaria no desemprego? E se, em vez de um mestrado, tivesse optado por me aventurar no universo do trabalho? E se, em vez de ti, tivesse optado por me manter na solidão? E se... malditos. E, no entanto, talvez o maior E Se de mim, do meu eu, da minha vida seja aquele que se relaciona com as mudanças bruscas da infância... talvez o presente não fosse este. 

 

É estranho. Confio em que tudo acontece por um motivo forte que, cedo ou tarde, descobriremos as razões. Acredito que à vida e aos caminhos por ela traçados, é impossível fugir, por mais voltas que lhe tomemos, haverá sempre de tomar forma para acontecer. O que tiver de ser, será... dizem. E, no entanto, os malditos Se perseguem-me como se desejassem roubar-me algo.

 

No fundo, Vida, continuo sem entender porque decides fazer-me perder anos no mesmo patamar de nadas... sinto-me como um ser esquecido num qualquer caminho do mundo e era hora de me reencontrares. 

 

tumblr_m7u0ospCKM1rat7r5o1_500.jpg

 

Malditos Se...  

Das palavras mais tristes que já escrevi...

Outubro 02, 2015

 Sinto que, aos vinte e sete anos, perdi a capacidade de sonhar. Fecho os olhos. Contemplo o mar. Inspiro o perfume dos campos. Porém, os sonhos que outrora sonhará nestes recantos de mim, que me acompanhavam em viagens e me visitavam sem pedir qualquer licença, à muito que me deixaram. Fui sonhadora... não sei mais o que sou hoje. Limito-me a viver o presente; sem a promessas de mil e um sonhos. Preciso que algo de bom aconteça na minha vida e me devolva a capacidade de sonhar. Uma vida sem sonhos é triste. Quero sonhar novamente. 

 

tumblr_m4ji77UCPy1ro7jdfo1_500.jpg

 

 

Hoje não sonhei...

13 | Dos outros... e do amor falhado.

Agosto 26, 2015

O amor é um universo simples. Porém, nós, enamorados e não enamorados, complicamos o simples... porque viver descomplicadamente parece aborrecido. O mais triste do amor é quando ele termina assim,

 

FB_IMG_1440419965670.jpg

 

O mais triste do amor é quando ele termina e mil e umas palavras ficam por dizer... O mais triste do amor é quando queremos que alguém fique e não somos capazes de o dizer. O mais triste do amor é viver com este e se eu lhe tivesse dito para ficar, para não desistir e lutar por nós, o que seriamos hoje? O amor é feito de palavras e quando as palavras nos falham, é triste viver com os sentimentos de um amor falhado.  

Viver. Sonhar. Amar.

Agosto 07, 2015

Viver custa. Há dias em que sinto a vida escapar-se pelos meus dedos como se de areia de praia se trata-se. A vida dói. 

 

tumblr_lse8w4DeZY1qgbtzeo1_500.jpg

 

Sinto a tua falta. A falta dos teus abraços, gestos e beijos. Sinto a falta de ti, de nós. Consome-me. Penso em ti, em mim e no que fomos, no que queríamos ser, no que poderíamos ser e a tua ausência consome-me. A culpa é nossa, é tua e minha, por não lutarmos por quem dizemos amar. Ou, será que ainda lutaremos? Não sei se habitas no meu passado ou te encontrarei no futuro. Perdi a esperança. E, enquanto a vida passa nos outros, recheando-a de momentos felizes, em mim escapa-se-me. 

 

Vivo um dia de cada vezes, sem expectativas nem sonhos que mereçam ser sonhados ou vividos. Viver dói. A vida custa. Há dias em que me sinto cansada de viver, sonhar, esperar.

 

Captura de ecrã 2015-08-7, às 10.22.33.png

 

 Eu sinto a tua falta... a falta de nós. Demoras muito?

companhia literária...

Mais sobre mim

foto do autor

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
| A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida. Fernando Pessoa. |