Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Pensamentos

... nasce do desejo inconstante de partilhar um pouco de mim e do que sou numa espécie de diário. Resumo-me em: Maria, 32 anos, signo gémeos, amante de livros, sonhadora, romântica, dramática q.b., viciada em chocolates.

Um Mar de Pensamentos

... nasce do desejo inconstante de partilhar um pouco de mim e do que sou numa espécie de diário. Resumo-me em: Maria, 32 anos, signo gémeos, amante de livros, sonhadora, romântica, dramática q.b., viciada em chocolates.

Quando o carteiro chega,

as pessoas normais pensam sempre em contas. Já eu, pelo contrário, quando o carteiro chega só penso nos livros que encomendei e no quanto eu os desejava...

12519616_202806873414149_2099397071_n.jpg

Chegou, finalmente, a minha tão ansiada encomenda da Wook. Esperava-os desde o início do mês, mal soube do mais recentemente lançamento literário, e por eles fiz questão de escolher, depois de terminar Mulheres Sem Nome, um livro pequenito de ler: optei por A Sociedades dos Sonhadores Involuntários de José Eduardo Agualusa.

 

Eu estava em pulgas por ler estes dois livros,

1505925701478.jpg

Um Mais Um é o mais recente lançamento literário de Jojo Moyes. Vitória - A Jovem Rainha é um daqueles livros que já namorava à alguns meses mas que aguardava a melhor oportunidade para o adquirir.

 

A questão que se coloca, agora, é: por qual é que começo? Provavelmente por Jojo Moyes. 

Voltei porque sentia saudades de,

escrever,

partilhar a minha opinião sobre livros,

desabafar,

partilhar opiniões de tudo ou nada,

ler-vos.

Voltei porque sentia saudades de tudo isto e destes espaço que me diz tanto. Voltei e espero, na verdade, procuro não desaparecer... Gosto deste cantinho: do nome, do que escrevo, de quem me voltou a ler. Não é um recomeço, trata-se de continuar...

2a046a8985ead6647cc1b177205f8139.jpg

 

Sobre o que foi feito de mim nos últimos meses pouco ou nada existe à acrescentar. Mantenho o mesmo trabalho como operadora de loja num hipermercado, o mesmo horário, funções e responsabilidades. Continua a não ser o meu emprego de sonho e definitivamente não será a minha escolha de vida, mesmo que me permita crescer profissionalmente, mas foi o que se arranjou. Obviamente que não desisti de lutar por mais e quase todos os dias consulto diversas ofertas de emprego e acredito que novas oportunidades surgiram.

 

 

Se a nível profissional nada parece ter mudado, o mesmo não posso escrever sobre o amoroso. Conhecia uma pessoa maravilhosa, por dentro e por fora, que tanto tem feito por mim. É o meu porto de abrigo, o meu apoio, alguém que não me deixa desistir dos meus sonhos e me aceita como sou, motivando-me a lutar e a acreditar em mim. Continuo a lutar contra os meus medos e fantasmas mas, ao lado dele, as coisas parecem mais fáceis... ele consegue sempre acalmar-me e ver o outro lado de tudo. A melhor coisa que me aconteceu nos últimos tempos... um ano e dois meses muito felizes.

 

A leitura, a minha outra paixão, ficou um pouco penalizada pelo meu trabalho. É verdade que o meu dia laboral termina cedo mas, também se inicia de madrugada, reflectindo-se na minha capacidade de leitura... demoro mais tempo a ler do que outrora. Não leio quatro ou cinco livros por mês mas sinto-me feliz por, quase todos os dias, me dedicar um pouco à leitura, antes de me deitar, e conseguir concluir um a dois livros por mês. Continuo, apesar das minha condicionantes, a ter muitos livros por ler e a não desistir de adquirir novos livros... é estúpido, bem sei, mas a paixão fala mais alto. 

o-ministerio-do-livro-adverte-quanto-mais-livros-v

Por fim, para quem ainda se lembra, a minha irmã mais nova entrou no ensino superior o que me levou a mergulhar numa onda de nostalgia e saudades da minha vida académica.

 

E, agora sim para concluir, vou pintar o cabelo... 

Não chegamos ao Inverno,

mas para mim é como se já estivéssemos em pleno Inverno. Durmo de pijama polar, trabalho de manga comprida - apesar do esforço físico que exige - e não consigo sair de casa sem um casaco... só me faltam as meias grossas e trocar as roupas.

9901da97540a9920ae767dec912d1b82b0691d2f.jpg

Concluindo: sou uma velha friorenta. 

O drama de acordar cedo,

é que chegamos às oito da noite e parece que fomos atropelados por um comboio. Contextualizando: eu sou daquelas que acorda com as galinhas, às cinco para entrar uma hora depois e, embora já siga este horário já vai a caminho de dois anos, continuo sempre a sentir que nunca me irei habituar.