Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 28 anos*

Um Mar de Pensamentos

Top Quinze dos Meus Filmes

Com base neste top, pensei em criar o meu top quinze de filmes... A ideia não é lançar um desafio, mas sim partilhar os filmes que, independentemente da qualidade e do prestígio dos mesmo, me marcaram ou tocaram. Pouco importa a ordem da lista, o objectivo é mostrar um pouco mais de mim, tal como nos livros.

Ora aqui vai,

 

Harry Potter

Cresci com o mago e amigos mais famosos do mundo. Li os livros e aguardei ansiosamente pelos filmes. Quando o primeiro filme saiu, e finalmente chegou à minha santa terra, chorei quando comprei o bilhete que me dava acesso à sala de cinema... eu estava louca de excitação. Marcou a minha geração e permanecera na minha memória por muitos anos. 

 

Titanic (1997)

Impossível não o mencionar... provavelmente a mais famosa história de amor e pouco tenho a acrescentar. Quem não conhece a história trágica protagonizada por Leonardo DiCaprio e Kate Winlest?

 

Lembra-te de Mim (2010)

Um filme sensível, tocante, comovente. É praticamente impossível conter as lágrimas com o filme trágico do protagonista... e, sobre este filme, falei aqui.

 

Um Funeral à Chuva (2009)

Sim, é português e aconselho a visualização. Apesar das falhas inevitáveis de um filme realizado a baixo custo (como muitos filmes em Portugal), a história de Telmo Martins é tocante e, pela experiência de quem já viu por minha indicação, impossível de ficar indiferente. Tendo como base a amizade, relata a história de um grupo seis amigos reunidos no funeral de um dos elementos, aquele nada dizia mas estava sempre presente.

 

O Rapaz do Pijama às Riscas (2007)

É impossível ficar indiferente à adaptação do livro de John Boyne.

 

Para a Minha Irmã (2009)

O livro de Jodi Picoult é um dos meus dez preferidos... e, como tal, também a adaptação teria de constar no meu top quinze de filmes.

 

A Vida é Bela (1997)

O filme italiano de Roberto Benigni funciona como um comprimido de esperança. Numa Alemanha nazi, um casal judio procura, através do amor, cumplicidade, amizade e humor, fazer com que o filho pequeno acredite que, o horror em que vivem, não passa de um jogo. 

 

Amigos Improváveis (2012)

O filme francês sobre uma amizade (muito) improvável entre um jovem negro acabado de sair da prisão e um aristocrata francês de meia-idade tetraplégico. Uma comédia dramática improvável de esquecer.

 

Tres Metros Sobre El Cielo (2010) e Tengo Ganas de Ti (2012)

É difícil escolher qual dos dois gosto mais. Hace é um jovem rebelde, impulsivo e que adora viver perigosamente; já Babi é uma jovem de classe alta, inocente, educada segundo rígidos princípios. A vida de ambos muda radicalmente quando os dois se conhecem e se apaixonam. No entanto, os preconceitos sociais falam mais alto e só o amor não chega... a vida prega-lhe uma inesperada rasteira e o casal acaba afastado.

Enquanto o primeiro mostra o lado mais doce e genuíno de uma relação, o segundo mostra que a vida é uma caixa recheada de surpresas, em que nem sempre o primeiro amor é o mais autêntico... porque, afinal, os finais não são sempre os esperados. Os filmes, em espanhol, resultam da adaptação dos livros de Frederico Moccia. 

 

Notting Hill (1999)

Alguém desse lado não conhece este famoso filme protagonizado por Julia Roberts e Hugh Grant? Se não conhecem, vale a pena (e muito) conhecer.

 

Medianeras (2011)

Um filme argentino sobre o amor e a solidão na era do mundo virtual.

Martín, é web design e um fóbico em processo de recuperação. Durante anos viveu enclausurado entre quatro paredes, sendo o computador o seu melhor e mais fiel amigo, a porta para o mundo exterior. Cheio de manias, aos poucos e poucos entra em contacto com a realidade exterior. Mariana é vitrinista em lojas e terminou um longo relacionamento. Evita usar elevadores, vive num pequeno apartamento e gosta de procurar a personagem Wally nos livros - como se procura-se o seu amor. Embora vizinhos, Martín e Mariana não se conhecem, cruzando-se diariamente. Sobrem do mesmo, solidão e procuram o mesmo, amor... onde? Através de um elemento comum, o mundo virtual.

 

Orgulho e Preconceito (2005)

Não cheguei a ler o livro de Jane Austen mas adorei o filme. O filme retrata a história de cinco irmãs de uma família inglesa de aristocrata rurais educadas para encontrar um marido. Um drama sobre orgulho, amor e preconceito.

 

O Impossível (2012) 

Foi, salvo erro, recorde de bilheteiras. Em 2004, a zona do Índico é abalada por uma das maiores tragédias naturais de sempre: um sismo seguido de tsunami. O filme é o retrato real de uma família espanhola separada durante a tragédia que, entre o caos e destruição, procura o reencontro. A história fascinante de sobrevivência e esperança.

 

O Despertar da Mente (2004)

O final de uma relação é sempre complexo, difícil e doloroso. Quem não gostaria de ter uma máquina que eliminasse da memória todas as lembranças dessa relação? Este é o mote do filme. Joel procura, através de um processo inovador, isso mesmo, eliminar memórias da vida que partilhou com Clementine. Um drama romântico comovente e arrebatador. 

 

O Diário de Bridget Jones (2001)

Quem não se lembra dela? Bridget é uma mulher de trinta anos que decide escrever um diário onde expõem qualidades e defeitos e relata episódios do seu dia-a-dia e a sua busca pelo seu príncipe. 

 

Na prática, bem sei que são mais de quinze, mas é difícil desenlaçar e seleccionar apenas um. Para trás ficam filmes como O Aviador, A Rapariga Que Roubava Livros, Avatar, Pretty Woman ou Sozinho em Casa, entre outros. A verdade é que sou mais menina de me deitar no sofá, com uma caneca de chá, uma manta e um bom livro... é, muitas vezes, mais fácil relembrar um livro do que um filme. Estes marcaram-me: pela história, pela mensagem, pelo contexto em que o filme foi visto ou por me identificar com uma ou mais personagens. 

Não gosto de filmes de terror, violentos ou agressivos. Gosto de filmes românticos e comoventes. Sim, daqueles com final feliz e que me permitam sonhar. Nem todos me fazem chorar e, desta lista, talvez dois ou três tiveram esse efeito.

E, para vocês, quais os quinze filmes mais marcantes?

40 comentários

Comentar post