Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 28 anos*

Um Mar de Pensamentos

Ter | 05.07.16

A verdade das saudades de escrever.

M*
A verdade é que eu sinto saudades de escrever. A verdade é que, igualmente e tristemente, não tenho conseguido escrever. Falta-me o tempo; ou saber organizar-me. Falta-me a vontade; ou a paciência de quem sente o desgaste físico de um trabalho esgotante. Falta-me algo. Escrever. Sinto falta de escrever: sobre mim, sobre as minhas leituras, sobre os meus mil e uns pensamentos. Ler. Ler livros, partilhar leituras, ler quem se relê nas minhas palavras. A verdade é que regresso... ou (...)
Sex | 12.09.14

Dos medos, da saudade e da solidão.

M*
Perguntaram-me se tinha namorado e quando o arranjava, que uma jovem como eu à muito que deveria ter um. Perguntaram-me se alguma vez o tive, respondi que sim, um. Perguntaram-me porquê acabamos, respondi que não queria falar sobre o tema. Uma simples pergunta leva a outra e àquela que deveria ser proibida. É sempre assim. Como se chegar aos 26 solteira fosse um crime.     A (...)
Ter | 24.06.14

O que me faz viver?

M*
Faz cerca de uma semana que, através do feed de notícias no facebook, soube da partida prematura de um jovem. Não o conhecia mas fiquei chocada. Quando a morte chega excessivamente cedo e sem ser calculada, o coração treme e a alma questiona-se nos motivos. Durante alguns dia, li comentários e diversas reacções ao seu desaparecimento e mexeu, mexeu muito comigo. Não é de agora que, volta e meia, dou por mim a questionar sobre o sentido da vida... e, confesso, já pensei que estar (...)
Ter | 03.06.14

Tenho saudades de ti.

M*
Do teu toque, dos teus braços, dos teus lábios. Saudades dos abraços e das noites passadas contigo. Saudades dos sorrisos espontâneos e das conversas sem hora para terminar. Saudades de sonhar contigo e de aquele formigueiro. Saudades de te sentir em mim. Saudades de um alguém que nem sei se existe... que não sei se algum dia existirá.