Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 28 anos*

Um Mar de Pensamentos

Sab | 20.09.14

Do excesso de peso e da aceitação.

M*
Não é fácil aceitar aquilo que somos. Uma frase, um momento, uma pessoa ou tudo isto junto e deixamos que sejam os outros a controlar a nossa vida, o modo como nos vemos. Não é fácil aceitar que temos peso excesso de peso ou peso a menos, que temos acne ou outro problema de saúde que marcam o nosso aspecto exterior perante os demais. Nada disto é fácil. Durante anos tentei lutar contra o excesso de peso e problemas de acne. Anos em que foram os outros quem dominaram a forma como (...)
Dom | 11.05.14

Pretty hurts.

M*
Nem todas as músicas nos tocam da mesma forma. Umas nos tocam mais do que outras, outras embora gostemos não nos dizem nada. Tudo depende do momento em que as ouvimos, do nosso estado de alma, da forma como nos toca. E, nem sempre precisamos de entender a língua para entendermos o refrão.  Nunca fui muito boa com o inglês mas depressa entendi o quão me dizia esta música... A beleza dói. A beleza cansa. A beleza irrita. A perfeição é uma constante imperfeição. Quantos de nós (...)
Dom | 20.04.14

A primeira etapa.

M*
Vamos lá por partes: o facto de eu ter excesso de peso não significa que seja por excesso e abuso de doces. Nem todas as pessoas com problema de peso precisam de manter um grande problema com os doces, mas sim, com a comida em geral.  Não sou daquelas meninas que se empanturra (embora já o tenha sido) de bolachas, pipocas, bolos, gelados e tudo o que haja de mais doce... ou que coma leite condensado e nutella às colheres. Também não sou daquelas que se excede nas comidas fast-food. (...)
Ter | 08.04.14

Volta e meia alguém me diz...

M*
Tens umas pernas jeitosas, embora gordinhas, mas são umas pernas boas!   Detesto quando alguém me diz isto. Eu já o sei, não necessito de uma alminha a relembrar-me do mesmo. Basta começarem a falar nas minhas pernas para eu desejar um cantinho onde me esconder. Porém, à uns dias na estação do comboio, um casal de idosos meteu conversa comigo usando as minhas pernas como um dos argumentos. Sim, um dos motivos foi as minhas pernas e algo do género:   Oh menina, desculpe mas a (...)