Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 28 anos*

Um Mar de Pensamentos

Qui | 14.04.16

Oito mitos sobre o excesso de peso.

M*
Eu sempre fui gorda... gordinha, grande, cheiinha, com curvas. Diversos termos para designar o meu corpo. Convivo com o excesso de peso desde os meus dez anos e, aos vinte e sete, quase vinte e oito, vivi experiências e senti sentimentos que moldaram a minha personalidade e relação com o meu corpo e peso.    Quando adolescente, na idade em que o corpo e a imagem ganham importância, escutei diversas vezes comentários negativos e destrutivos sobre o meu peso ou tamanho das minhas (...)
Ter | 24.03.15

Dos outros... tu não precisas de ser magra.

M*
E, ao ler este texto, chorei... porque a minha linha de pensamento sempre se assemelhou ao descrito naquelas palavras, quando eu for magra. Sempre achei que a vida seria mais fácil quando, um dia, conseguisse emagrecer, quando finalmente entrasse naquelas calças ou naquele vestido. Mas, a verdade é que, por mais dietas e voltas que tomasse para emagrecer, nunca consegui. Um dia, algures no tempo, tomei consciência de que jamais conseguiria ser magra... não porque eu não o (...)
Sab | 20.09.14

Do excesso de peso e da aceitação.

M*
Não é fácil aceitar aquilo que somos. Uma frase, um momento, uma pessoa ou tudo isto junto e deixamos que sejam os outros a controlar a nossa vida, o modo como nos vemos. Não é fácil aceitar que temos peso excesso de peso ou peso a menos, que temos acne ou outro problema de saúde que marcam o nosso aspecto exterior perante os demais. Nada disto é fácil. Durante anos tentei lutar contra o excesso de peso e problemas de acne. Anos em que foram os outros quem dominaram a forma como (...)
Dom | 08.06.14

Sonhos até aos 27.

M*
Dizem que o dia do nosso aniversário deve, por um lado, ser de reflexão e, por outro, de celebração (como não tenho amigos na 'santa terra', foi pasado com a família e sozinha). Eu, desde os 18, que deixei de ter interesse em festejar os aniversários. Em primeiro lugar, porque não vejo qual a lógica de celebrar o caminho para a velhice e responsabilidade. Em segundo, por uma questão pessoal. Por último, porque nunca me identifico com a idade real que o meu cartão de cidadão (...)