Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 29 anos*

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 29 anos*

Tag | Livros Únicos.


M*

22.09.17

Confesso-me: tinha saudades de responder a uma tag literária. Nos últimos meses, sempre que lia uma, dava por mim a responder às mesmas, sem compartilhar com ninguém... é um sentimento triste. Por isso, resolvi pesquisar pela blogosfera uma entrevista sobre livros e descobri esta - daqui - sobre livros únicos e convosco partilho as minhas respostas,

 

01. Livro único que te deixou desejando continuação...

liv01990091_f.jpg

Por Treze Razões é um livro forte onde temas como o bullying, a depressão ou a violação são abordados na forma de treze cassete gravadas, em que cada uma delas revela um motivo e uma pessoa que levaram ao suicídio de Hannah. Adaptado a série, o livro de Jay Asher é um livro forte e marcante que nos leva a questionar a forma como cada personagem retrata refaz a sua vida depois de Hannah desaparecer...

 

02. Livro único que cumpriu sua proposta. Só um foi suficiente...

Ele-Esta-de-Volta.jpg

Ele Está de Volta, uma crítica política e social sobre a era moderna das redes sociais e dos medias. Adolf Hitler é a personagem principal desta narrativa. Personagem marcante da História, Hitler acorda em pleno século XXI, numa Alemanha irreconhecível. Pontuado por muito humor, Timur Vermes mostra-nos uma sociedade em que qualquer um, com cariz e bom falar, pode criar uma legião de seguidores.

 

03. Livro único com personagens únicos,

19204365_HlJv6.jpg

O Rouxinol retrata a história de duas irmãs francesas, a forma como cada uma enfrenta o inimigo, no decorrer da II Guerra Mundial. Um livro onde Kristin Hannah escreve magistralmente sobre amor e amizade, ódio e sofrimento... é uma leitura à qual é impossível ficar-lhe indiferente.

 

04. Livro único que tem cara de série de tão completo que é...

Diz-me quem sou.jpg

Em Diz-me Quem Sou, Julia Navarro leva-nos a conhecer a História do século XX em mais de mil páginas, recheado de intrigas, amor, traição e sofrimento. É um livro tão recheado de aventuras, desde os anos da Guerra Civil Espanhola à II Guerra Mundial, a queda do muro de Berlim e da Guerra Fria, que merecia mais do que um livro único. 

 

05.  Livro único que você leu super rápido...

250x.jpg

Maldito Karma é um daqueles livros que se lê a correr de tão leve e cómico que é. É, provavelmente, um dos livro mais divertido da minha estante.

 

06. Livro único de um de seus autores favoritos,

250x.jpg

Marina é um livro pequenito e fácil de ler, marcado de amor e fantasia, muito ao estilo de Carlos Ruiz Zafón.

 

07. Livro único que você recomenda a todos,

1054333_1343819328.jpg 

Estrada da Noite foi o primeiro livro que li de Kristin Hannah e um dos que mais me marcou. Um livro que não se limita a falar sobre o amor mas aborda temas tão sensíveis como a perda de um filho, o perdão e a traição... é impossível não aconselhar a sua leitura.

 

08. Livro único que te fez chorar.

CAPA Uma praça em Antuérpia - Portugal 2015.jpg

Uma Praça em Antuérpia relata a história de duas irmãs portuguesas separadas pela II Guerra Mundial. Uma narrativa intensa e viva, surpreende-nos com as interrogações, desencontros e fatalidades, que mudam a história das irmãs. 

 

09. Livro único fora da sua zona de conforto.

500x.jpg

Não é um livro único, trata-se de uma trilogia mas foi o único que me ocorreu como resposta a esta questão: As Cinquenta Sombras de Grey. O romance erótico não faz o meu género literário. Compreendi-o depois de ler o primeiro e metade do segundo volume desta triologia. Portanto, é difícil que volte a cair no erro de adquirir um livro único sobre este género... ou baseados em narrativas de terror. 

 

10. Quem você taqueia?

 

Tu, que me lês desse lado... sim, tu mesmo! É a ti que te taqueio. Sente-te à vontade para responder... fico à espera de cuscar as tuas respostas.

Os meus livros de 2016.


M*

06.01.17

Não li, em 2016, tanto quanto desejei nem tão pouco tanto como no ano anterior. Porque, por um motivo ou por outro, o peso do trabalho, do cansado dos dias ou da apatia para a leitura ditaram que o ano que terminou não fosse tão recheado de leituras. Li, segundo o Goodreads, 26 livros - embora três não tenha chegado a concluir -  contra 55 do ano anterior, cumprindo a meta estabelecida de 20 leituras. Não são, no entanto, estes valores que importam mas sim as leituras que me marcaram em 2016... e são cinco os livros favoritos (e sem qualquer ordem de preferência),

 

O Rouxinol

Kristin Hannah 

19204365_l2ydZ.jpg

O Rouxinol é o relato marcante e inesquecível de duas irmãs francesas no decorrer da II Guerra Mundial. Um romance histórico sobre a invasão alemã de 1939 a territórios franceses e que é simultaneamente uma homenagem à bravura, coragem e força das mulheres pela sobrevivência e resistência.

 

Duas irmãs unidas pela dor e perda, separadas pela guerra e pela forma como a encaram. Vianne acredita que o mais correcto será aceitar os nazis, Isabelle acredita no oposto.

(opinião)

 

Uma Praça em Antuérpia

Luize Valente

CAPA Uma praça em Antuérpia - Portugal 2015.jpg

É, arrisco-me a escrever, um dos livros que mais me marcou e surpreendeu. É, igualmente, um livro sobre a II Guerra Mundial, na perspectiva de duas irmãs portuguesas cujos destinos é marcado pelos "e ses" e pequenos detalhes... 

 

A história inicia-se na voz de Olívia que, contemplando uma velha e antiga fotografia de uma família, revela à neta Tita o terrível segredo que guarda na alma e no coração. Olívia é, no alto dos seus 80 anos, uma bem sucedida empresária portuguesas em terras brasileiras que, por fim, revela a história da sua irmã gémea, Clarice... e a sua própria história de vida. Clarice e Olívia, irmãs nascidas no Norte de Portugal, sempre foram inseparáveis. Porém, o início da II Guerra Mundial e a perseguição aos judeus, uma vez que Clarice é casada com um jovem judeu pianista, marcará o trágico destino da irmãs e respectivas famílias.

(opinião)

 

As Serviçais

Kathryn Stockett

Serviçais_sobrecapa.jpg

O romance de estreia de Kathryn aborda a década de sessenta e a segregação racial nos EUA. Um livro sobre três mulheres distintas, unidas pela vontade e necessidade de combater o preconceito baseado na cor, recheado de humor, amizade e esperança.

 

Um projecto clandestino, marcado pelo perigo, unirá as três mulheres... é a necessidade de combaterem o preconceito racial e sociais, que as sufocam, que mudará o destino d' As Serviçais.

(opinião)

 

A Verdade Sobre o Caso Harry Quebert

Joel Dicker

alf-o-caso-harry-quebert_150dpi.jpg

É de um livro que este livro fala... e do assassínio de uma jovem. Um romance policial recheado de mistérios, capaz de nos envolver desde a primeira página, levando-nos a achar que descobrimos a verdade sobre o caso Harry Quebert quando, inesperadamente, um detalhe muda o rumo das suspeitas...

 

Confia em Mim

Lesley Pearse

500_9789892336435_confia_em_mim.jpg

É, arrisco-me a escrever, um dos livros mais marcantes e chocantes de Lesley Pearse. Confia em Mim relata-nos a história de duas irmãs inglesas a quem a vida cedo demais se revela dura. Perdem, ainda meninas, a mãe e o pai é condenado pela morte suspeita da mãe. Entregues aos cuidados de irmãs religiosas num orfanato inglês, as irmãs vivem marcadas pelas regras e punições severas. Porém, acreditando num novo recomeço e melhor futuro, as irmãs aceitam integrar um programa que as levará à Austrália e a uma vida que profundamente as marcará.

 

Os livros que marcaram o meu 2016 podem ser visualizados em goodreads ou pela tag leituras 2016. 

 

Uma Praça em Antuérpia de Luize Valente.


M*

05.04.16

dfb94516-1d1d-410c-9104-0bb8de577074.jpg

 Uma Praça em Antuérpia de Luize Valente é, arrisco-me a escrever, um dos meus livros favoritos de dois mil e dezasseis. Uma leitura rica e empolgante, um dos poucos livros que já li com o dom de me roubar lágrimas pelo destino das suas personagens numa trama intensa e inesquecível. 

 

O que mais me surpreendeu nesta leitura foi a escrita de Luize Valente. É uma escrita capaz de nos transportar para a narrativa, cujos detalhes históricos são explicados surpreendentemente bem, contextualizados e no decorrer da história. A escritora não se limitou a bombardear aspectos históricos num ou em vários capítulos: soube agrega-los à narrativa das irmãs gémeas, envolvendo a realidade com as personagens. Uma escrita sem excessos e simples, cativante e fluida. 

 

Uma Praça em Antuérpia é, antes de mais, uma narrativa muito bem elaborada, sobre a Guerra, segredos e pequenos "e ses" que marcariam a diferença. É, no fundo, um livro que fala como pequenas coisas, detalhes que parecem insignificantes, podem marcar destinos. A história inicia-se na voz de Olívia que, contemplando uma velha e antiga fotografia de uma família, revela à neta Tita o terrível segredo que guarda na alma e no coração. Olívia é, no alto dos seus 80 anos, uma bem sucedida empresária portuguesas em terras brasileiras que, por fim, revela a história da sua irmã gémea, Clarice... e a sua própria história de vida. Clarice e Olívia, irmãs nascidas no Norte de Portugal, sempre foram inseparáveis. Porém, o início da II Guerra Mundial e a perseguição aos judeus, uma vez que Clarice é casada com um jovem judeu pianista, marcará o trágico destino da irmãs e respectivas famílias.

 

O futuro era o minuto seguinte, nem um instante a mais. Era assim que tinha de pensar. O futuro era senta-se numa bela doçaria, comer torta de chocolate e tomar um café com leite muito cremoso. O futuro era celebrar os três anos de Bernardo, o domingo sem enjoos, Theodor de folga e a vida que crescia dentro dela.

 

A história de Olívia e Clarice e famílias decorre em cenários e países distintos: Portugal, Alemanha, Brasil, Bélgica, França e Espanha. A caracterização das diferentes personagens é extraordinária e, quando o segredo da família é revelado e sucessivas revelações acontecem, é admirável a forma como a personagem reagirá... não quero entrar em detalhes e, apenas posso escrever que fiquei chocada e surpreendida quando a história que Olívia narra se cruza com o presente da mesma. 

 

Por outro lado, a história narrada neste livro mostra uma outra perspectiva sobre os judeus, Holocausto e II Guerra Mundial: a fuga aos nazis e o papel marcante do cônsul português de Bordéus, Aristides de Sousa Mendes. Aliás, este romance é inspirado no seu papel enquanto cônsul na atribuição de milhares de visto para judeus em fuga da Europa. 

 

É, admito, difícil escrever sobre um livro que me surpreendeu pela qualidade narrativa e criatividade histórica. A minha vontade é escrever, escrever e escrever tudo, detalhadamente, sobre este livro... ficou, conhecem, aquela sensação de vazio que só um bom, na verdade, excelente livro é capaz de deixar em nós?! Foi exactamente o que me aconteceu com este livro... dez estrelas! 

 

O amor é o sentimento mais nobre que um ser humano pode ter. No momento em que ele é entregue e recusado, transforma-se em tristeza, mas naquela tristeza que carrega a saude dos dias passados.

 

Uma Praça em Antuérpia é um livro inesquecível. Recomendo-o a qualquer amante a literatura, bem como a apaixonados pelo passado histórico, em particular a temática da II Guerra Mundial... ou, no fundo e resumidamente, para ficarem a conhecer um pouco mais da personalidade de uma figura portuguesa esquecida, Aristides de Sousa Mendes. 

 

___

 

Título Original: Uma Praça em Antuérpia 

(colecção A História de Portugal em Romances)

Autor: Luize Valente, Brasil

ISBN: 9789896378448

Páginas: 352

Editora: Edições Saída de Emergência, 2015

Sinopse:

A história de duas irmãs que a guerra separou e o terrível segredo que deixaram para trás.

Há uma saga que ainda não foi contada sobre a Segunda Guerra Mundial: a história de duas irmãs portuguesas, Olívia e Clarice. Olívia casa-se com um português e vai para o Brasil. Clarice casa-se com um alemão judeu e vai morar em Antuérpia, na Bélgica. Ambas vivem felizes, com maridos e filhos, até que a guerra começa e a Bélgica é invadida.

Para escapar da sombra nazi que vai devorando a Europa, a família de Clarice conta com a ajuda de Aristides de Sousa Mendes, o cônsul que salvou milhares de vidas emitindo vistos para Portugal, em 1940, enquanto atuou em Bordéus, França.

A família recebe o visto mas, ao chegar à fronteira de Portugal,um destino trágico a espera... Destino que vai mudar e marcar a vida das irmãs para sempre, por causa de um segredo que só será revelado sessenta anos depois.

Uma Paixão Chamada Livros, 40/40.


M*

25.03.16

Dia Quarenta

 

imagem desafio livros.jpg

 

Próximo livro a ler...

 

O próximo livro a ler ainda não está definido. A escolha literária é provocada mediante o meu estado de espírito do momento e final de um livro. Por isso, é-me difícil prever a próxima leitura.

 

A leitura, no entanto, actual é,

 

image.jpg

 

___

 

O desafio Uma Paixão Chamada Livros consiste em responder a quarenta questões sobre, tal como o título indica, livros. O desafio começa no dia 1 de Fevereiro, decorrerá nos dias úteis, sendo publicado às 15 horas. 

 

O amor pelos livros e pela leitura é partilhado nos blogues Magda PaisNathyJust SmileThe Daily MiacisMulaMiss FMarcianoAlexandraJPDrama QueenFatia MorCMAna RitaMJTeaCarla B.Neurótika WebbNoqeCaracolMorena e As Minhas Quixotadas onde podem consultar as suas escolhas literárias.  

Mais sobre mim

foto do autor

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D