Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de M*

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de M*

Em Troca de Um Coração de Jodi Picoult.

12728838_478754218980266_5998534007789038531_n.jpg

 Em Troca de Um Coração de Jodi Picoult foi, resumidamente, uma verdadeira desilusão. 

 

Jodi Picoult é, e continuará a ser, uma das minhas escritoras favoritas porém, a narrativa d' Em Troca de Um Coração esteve longe de ser um dos meus preferidos. É, na verdade, o livro que menos gostei em sete livros que li da escritora, ficando muito aquém das expectativas. As temáticas são, no entanto, interessantes mas misturar temas delicados entre si fez, na minha opinião, com que o livro perde-se o foco principal...

 

Em Troca de Um Coração dá-nos a conhecer o drama de June, mãe da pequena Elizabeth assassinada, juntamente com o marido e padrasto da menina, por Shay, um jovem socialmente invulgar. June fica sozinha, ancorando-se à bebé que dará a luz meses após as mortes. As mortes chocantes revoltam a pequena localidade onde June e a família vivem e, portanto, Shay é condenado à morte pelos crimes cometidos. Porém, onze anos depois e sem que a pena tenha sido consumada, Shay quer doar o seu coração à irmã da menina que assassinou, Claire... Será June capaz de aceitar a oferta para salvar aquela que mais ama?

 

Os temas principais, pena de morte e doação de órgãos, são delicados e sensíveis, suficientemente marcantes para me cativarem. No entanto, através de personagens como o padre, o recluso doente ou a advogada, Picoult resolveu misturar uma série de pequenas temáticas num livro complexo e pesado, perdendo o foco principal. O padre é, na verdade, uma das personagens mais marcantes em toda a narrativa porém, a meu ver, desnecessária. Por outro lado, temáticas secundárias abordadas, que mais parecem quer tomar o livro mereciam, na verdade, um livro escrito por Picoult... adoraria ver como aborda, por exemplo, o excesso de peso. Considero que a escritora se perdeu, criando dramas desnecessários e desviando-se do verdadeiro mote do livro: a condenação à morte de Shay e a necessidade de um coração para Claire.

 

Em Troca de Um Coração não é, no fundo, um mau livro e reconhecesse a inconfundível escrita de Jodi Picoult. Porém, não querendo entrar em mais detalhes literários, perdeu-se um pouco ao foca-se em temáticas desnecessárias...

 

A verdade é que parte da minha desilusão se deve a ter lido recentemente um dos melhores livros de sempre desta escritora: A Contadora de História.

 

___

 

Título Original: Change of Heart, 2008
Autora: Jodi Picoult, EUA
ISBN: 9789722626491
Páginas: 436
Editora: Civilização Editora, 2008
Sinopse:
Aceitava realizar o último desejo de um condenado para salvar a vida de um filho? Com uma sensibilidade literária invulgar, Jodi Picoult conduz uma vez mais o leitor a uma encruzilhada moral. Como é que uma mãe concilia a trágica perda de um filho com a oportunidade de salvar a alma de um homem que odeia?
Shay foi condenado à morte por matar a pequena Elizabeth Nealon e o padrasto. Onze anos mais tarde, a irmã de Elizabeth, Claire, precisa de um transplante de coração e Shay, que vai ser executado, oferece-se como dador. Este último desejo do condenado complica o plano de execução, pois uma injecção letal inutilizaria o órgão. Entretanto, a mãe da criança moribunda debate-se com a questão de pôr de parte o ódio para aceitar o coração do homem que matou a sua filha. Picoult hipnotiza o leitor com uma história de redenção, justiça, e amor.

Uma Paixão Chamada Livros, 30/40.

Dia Trinta

 

imagem desafio livros.jpg

 

Personagem literária que nunca devia ter sido criada...

 

Pergunta complicada. Por um lado, considero que não existem personagens literárias que nunca deveriam ter sido criadas; por outro, porém, considero que existem personagens literárias desnecessárias. A verdade é que cada personagem, por mais odiosa ou aborrecida que seja, existe por qualquer motivo, mesmo que não o compreendamos, ou mais não seja porque o escritor/a a considerou necessária.

 

Poucos foram os livros, felizmente e até à data, em que me deparei com uma personagem que considerei que nada acrescentaram à história... dois, somente. Não considero, no entanto, que sejam personagens que nunca deveria ter nascido: simplesmente não lhes encontrei relevo ou interesse no desenvolvimento da narrativa.

 

Theo do livro A Melodia do Amor, de Lesley Pearse, é personagem desnecessária - na verdade, inútil - ao desenvolvimento da narrativa. Embirrei com a personagem mal entrou na história e, sinceramente, a única utilidade desta personagem foi destabilizar toda a história, colocando a personagem principal, a jovem Beth em sarilhos evitáveis. Mas, lá está, a personagem nasceu para dificultar a trama de vida de Beth... sem Theo o livro não seria o mesmo.

 

18475159_1EuyZ.jpg

 

O padre Michael de Em Troca de Um Coração, de Jodi Picoult, é outra das personagens que, a meu ver, nada de importante traduz à história. Pessoalmente, sem o testemunho profundamente religioso de Michael, ou menos vincado, Em Troca de Um Coração seria bem mais interessante... embora compreenda os sentimentos de duvida do padre ao longo da narrativa. 

 

12728838_478754218980266_5998534007789038531_n.jpg

 

___

 

O desafio Uma Paixão Chamada Livros consiste em responder a quarenta questões sobre, tal como o título indica, livros. O desafio começa no dia 1 de Fevereiro, decorrerá nos dias úteis, sendo publicado às 15 horas. 

 

O amor pelos livros e pela leitura é partilhado nos blogues Magda PaisNathyJust SmileThe Daily MiacisMulaMiss FMarcianoAlexandraJPDrama QueenFatia MorCMAna RitaMJTeaCarla B.Neurótika WebbNoqeCaracolMorena e As Minhas Quixotadas onde podem consultar as suas escolhas literárias.  

 

Uma Paixão Chamada Livros, 25/40.

Dia Vinte e Cinco

 

imagem desafio livros.jpg

 

 

Top cinco de escritoras favoritas...

 

Contrariamente ao dia anterior, onde a dificuldade residia na constatação de poucos livros escritos por homens na minha estante, a dificuldade relativamente à questão de hoje é seleccionar somente cinco mulheres escritoras. A verdade é que tenho a minha queda literária é a de ler mais mulheres e, como no caso das seleccionadas, quando gosto muito da forma de escrita ou de um livro, a tendência é explorar todos os seus livros. O meu top cinco de escritoras favoritas e das quais li mais do que um livro, são e sem qualquer ordem... 

 

Lesley Pearse

les.jpg

 

Jodi Picoult

jodi_picoult_-_web.jpg

 

Isabel Stilwell

isabel.jpg

 

Julia Navarro

_julianavarro_da3bfbdf.jpg

 

Kristin Hannah

Kristin-Hannah2.jpg

 

Porém, antes de concluir este post e por forma a ser totalmente justa, referência às escritoras Jojo Moyes, Dorothy Koomson e Philippa Gregory. Não posso, simplesmente, exclui-las do meu post porque, à excepção da primeira, li mais do que um livro ou tenho outros para ler em lista de espera. Escritoras que admiro e das quais adoro a escrita mas, por se tratar de um top cinco, limitei-me ao exigido... e, no entanto, não as consegui esquecer. 

 

philippa-gregory-sm_Fotor_Collage.jpg

___

 

O desafio Uma Paixão Chamada Livros consiste em responder a quarenta questões sobre, tal como o título indica, livros. O desafio começa no dia 1 de Fevereiro, decorrerá nos dias úteis, sendo publicado às 15 horas. 

 

O amor pelos livros e pela leitura é partilhado nos blogues Magda PaisNathyJust SmileThe Daily MiacisMulaMiss FMarcianoAlexandraJPDrama QueenFatia MorCMAna RitaMJTeaCarla B.Neurótika WebbNoqeCaracolMorena e As Minhas Quixotadas onde podem consultar as suas escolhas literárias.  

Um mar de livros... estou a ler,

Mensagens

Mais sobre mim

imagem de perfil

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.