Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 29 anos*

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 29 anos*

Uma Paixão Chamada Livros, 7/40.


M*

09.02.16

Dia Sete

 

imagem desafio livros.jpg

 

Livro que não conseguiste acabar...       

 

500_9789892321127_as_cinquenta_sombras_mais_negas_

___

 

O desafio Uma Paixão Chamada Livros consiste em responder a quarenta questões sobre, tal como o título indica, livros. O desafio começa no dia 1 de Fevereiro, decorrerá nos dias úteis, sendo publicado às 15 horas. 

 

O amor pelos livros e pela leitura é partilhado nos blogues Magda PaisNathyJust SmileThe Daily MiacisMulaMiss FMarcianoAlexandraJPDrama QueenFatia MorCMAna RitaMJTeaCarla B.Neurótika WebbNoqeCaracolMorena e As Minhas Quixotadas onde podem consultar as suas escolhas literárias.

    

Ódios Literários: o outro lado dos livros.


M*

23.10.15

Um livro é recheado de páginas mágicas. Um livro é capaz de despertar mil e uma emoções em que o lê. Um livro, a cada nova página, possui poderes mil que nos provocam um sorriso ou uma lágrima. Ler é partilhar com as personagens pedaços de sentimentos, histórias, sonhos, viagens.

 

Um livro é capaz de tanta coisa... E, porém, nem sempre um livro nos marca pelo lado positivo. Nem sempre falamos do lado negativo de um livros. Todos nós temos os nossos ódios literários: uma personagem que não gostamos, um livro que detestamos ou um livro que julgamos adorar e acabamos a sentir o oposto por ele. É este lado que, por vezes, na verdade, tantas vezes, procuramos omitir ou esquecer, com receio de demonstrarmos que não gostamos de um livro, quando a amiga ou o Mundo o adoraram, ou sentir que respeitámos o trabalho de quem o escreveu. 

 

Hoje não vou falar do bom dos livros. Hoje vou falar-vos dos meus ódios literários... o outro lado dos livros que li*

 

Vamos brincar com os livros?

 

nqdknalibri-estate-2.jpg

  

   | Personagem masculina que menos gostei...

Theo de A Melodia do Amor, Lesley Pearse. 

9208513_akyMA.jpg

Theo, uma das personagens centrais do romance histórico da escritora britânica, é um carismático jogador de cartas que, na companhia de Jack e dos irmão Beth e Sam, embarca na aventura da Febre do Ouro de Klondike no Yukón, Canadá. Theo é, porém, para mim uma personagem desnecessária à história. Nunca deveria ter nascido... em nada contribui para o desenvolvimento os amigos, gerando problemas aos quais é incapaz de responder ou dar a cara. Personagem egoísta, individualista e perturbador, Theo foi a personagem que menos gostei de todos os livros que li, um elemento que não se justifica neste romance.

A Melodia do Amor foi um dos livros que menos gostei de Lesley Pearse, essencialmente porque embirrei com Theo.

 

   | Personagem feminina que menos gostei...

Admito que, contrariamente à personagem masculina, só depois de muito pensar, contemplar e folhear os meus livros é que encontrei uma personagem feminina que não gostei. Margo personagem importante do livro Cidades de Papel, do escritor John Green, foi uma das personagens femininas que menos gostei. Considero a Margo uma jovem mimada e irreflectida, embora aventureira e irreverente, que procura nas suas fugas chamar a atenção para si. Considero a aventura dos jovens amigos de Margo pela descoberta do seu paradeiro interessante, uma viagem sobre o valor da amizade e do amor, mas nunca consegui ganhar afeição à personagem principal feminina. 

CIDADES_DE_PAPEL_1403529514B.png

Reconheço que as adaptações cinematográficas nem sempre são as melhores porém, este não é o caso, reforçando o filme a minha opinião sobre a personagem.

 

   | O/A vilão/ã mais odiado/a...

Rashid, Mil Sóis Resplandecentes, Khaled Hosseini. 

01040386_Mil_Sois_Resplandecentes(RL).jpg

Mil Sóis Resplandecentes é um dos meus livros favoritos. É uma história de amor e amizade, uma ode à esperança e à luta constante pela vida. Rashid é o marido de Laila e Miriam, um homem agressivo, prepotente e mentiroso, capaz de recorrer a todas as formas de violência para subjugar as esposas à sua vontade e capricho. Um homem despido de sentimentos e compaixão, num Afeganistão vestido de medo e terror pela guerra e duas mulheres unidas por laços fortes de amizade em busca de paz e segurança para os filhos. 

 

   | Um livro que li de capa feia...

Na verdade, em vez de uma capa, vou optar por mencionar dois livros que li e adorei mas cujas capas considero feias. Portanto, são eles, Travessuras da Menina , do escritor peruano Mario Vargas Llosa e Estrada da Noite, da escritora norte-americana Kristin Hannah. 

travessuras-de-uma-menina-mc3a1.jpg1054333_1343819328.jpg

Não existe nenhum motivo especial para não gostar das capas.

O primeiro livro, a capa faz jus ao conteúdo do livro, uma história cujos protagonistas se vestem de irreverência e dor, uma história de amor com final triste e diferente. A capa considero-a simplesmente feia.

O segundo livro merecia mais trabalho de capa.  É um drama intenso e inesquecível sobre o valor da amizade, do amor, as dúvidas de uma mãe, a morte e o perdão. Na verdade, qualquer um dos livros de Kristin Hannah do Círculo de Leitores o merecia... capinhas mais feias!

 

   | A dupla de personagens que menos gostei...

Alice Jack, O Retrato da Mãe de Hitler, Domingos Amaral. Não gostei do livro e não gostei desta dupla, aliás, das personagens no seu todo. O livro é aborrecido. Não o cheguei a concluir. Peca pelos excessivos relatos sexuais da dupla de espiões a amantes Alice e Jack.

14993737_41Nab.jpg

O Retrato da Mãe de Hitler tinha tudo para dar certo... mas, para mim, simplesmente não deu.

 

   | Um livro que achei que não iria gostar e, no final, adorei...

O Tempo Entre Costuras, María Dueñas. 

tempo entre costuras.jpg

Quando iniciei a leitura d' O Tempo Entre Costuras achei que não iria gostar, essencialmente pela escrita e pela falta de diálogos. Não gosto de livros onde não existam diálogos. Fazem-me lembrar os livros académicos. Considerava a escrita demasiado cuidada e receava que entrasse em excessivos detalhes sobre costuras. No entanto, à medida que folheava o livro, a cada nova página, a cada nova aventura de Sira Quiroga, o ânimo e o gosto pelo livro aumentaram. É um livro que exige tempo e dedicação, pela escrita e detalhes históricos da Espanha do século XX, porém é uma aventura de amor e enganos fantástica. O final é diferente e deixou-me encantada. 

 

   | Um livro que pensei que iria adorar mas que, na verdade, me decepcionou...

Estava tentada a escolher A Melodia do Amor até me lembrar de um livro cuja capa maravilhosa e título me deixaram apaixonadas, porém profundamente decepcionada não tendo, inclusive, concluído o livro... O Circo dos Sonhos de Erin Morgenstern. 

11705095_Pf54o.jpg

O Circo dos Sonhos é um livro de desenvolvimento lento - muito muito muito lento -, sendo precisamente este o meu motivo de abandono, recheado de personagens diversas, cuja escrita nos envolve numa áurea de mistério e magia. 

 

   | O final de uma saga mais decepcionante...

Não tenho o hábito de ler sagas de livros. É algo que não me cativa. Procuro ler livros individuais, ou seja, sem continuação. Li, no entanto, algumas trilogias como as de Carlos Ruiz Zafón, nomeadamente O Cemitério dos Livros Esquecidos e trilogia Neblina, os dois volumes de Um Mundo Sem Fim, de Ken Follett, e não terminei a saga Harry Potter. Das sagas completas referidas, o final que menos gostei foi a de Um Mundo Sem Fim.

Liv99999918_l.jpg 

Esperava, simplesmente, um final distinto. Uma saga recheada de imprevisto, de constantes reviravoltas, teve um final previsível. 

 

   | O pior livro que já li...

Todos cuja leitura não conclui. Quando um livro não me cativa, após as merecidas insistências, simplesmente abandono a leitura, sem dramas. Nós, leitores, lemos um livro e um livro lê-nos. Quando tal não acontece, independentemente dos motivos, para mim torna-se um dos piores livros que li... a saber,

14993737_41Nab_Fotor_Collage.jpg

 

   | O livro que está na moda, todos adoraram, mas tu não...

Prometo Falhar de Pedro Chagas Freitas e a saga Cinquenta das Sombras de Grey de E. L. James.

biblioid03485.jpgsprite.png

 

 * (book tag adaptada das youtubers espanholas fly like a butterfly e Nube de Palabras)

Dia Onze. Livro(s) que não consegui acabar.


M*

11.05.15

Presentemente e tal como já mencionei ao longo do desafio, são três os livros que não consegui terminar de ler, sendo eles,

 

(surpresa! rufar de tambores! surpresa!)

 

O Dia Em Que Te Esqueci

Margarida Rebelo Pinto

33845_320.jpg

 

Prometo Falhar

Pedro Chagas Freitas

Liv01950043_f.jpg

Por se tratarem de livros lamechas, recheados de cliché e frases que qualquer um, num dia inspirado, consegue escrever.

(falei sobre estes livros no segundo e quarto dia de desafio)

 

 

Mataram O Sidónio!

Francisco Moita Flores

Mataram_o_Sid_nio.jpg

 Já tentei recomeçar uma, duas, três vezes mas, de cada vez que tento, desisto. Pronto, embirrei com o livro. Talvez, daqui a uns trinta anos, me esqueça desta embirração e o consiga ler... 

(falei sobre este livro no dia sétimo dia de desafio) 

 

(resumidamente, os suspeitos do costume... nada de novo, portanto )

 

O Circo dos Sonhos, embora me seja de difícil leitura e um forte candidato a entrar nesta lista, ainda lhe estou a dar uma nova oportunidade... no goodreads as avaliações são positivas, as críticas literárias na blogosfera, de um modo geral, são positivas e, quem sabe, de facto, a história de Marco e Celia se transforme num circo de sonhos.

 

___

 

11180265_10153384994744636_836664787_n.jpg

 O desafio literário foi-me sugerido pela Magda. A ideia é, durante quarenta e cinco dias, todos os dias, à mesma hora, falar-se sobre livros, respondendo às questões sobre o universo dos livros. O objectivo do desafio é simples: se por um lado, consiste numa de gostos e experiências sob o mundo dos livros, por outro, este desafio leva-nos-à a pensar e a reflectir sobre os livros que já lemos. Iniciado a 1 de Maio de 2015 e durante 45 dias, neste blog, falar-se-à maioritariamente de livro. Não se esqueçam de visitar a Magda e conhecer as suas escolhas literárias

Dia Sete. Livro que me desiludiu.


M*

07.05.15

É curioso como, à medida que vou lendo e descobrindo novos livros, a minha - a nossa - opinião se vai alterando. Seja pela positiva ou pela negativa, a verdade é que, em algum momento, encontramos um livro que altera todas as certezas. Se, até à cerca de duas ou três semanas, esta questão me fosse colocada, não hesitaria em responder com o livro,

 

Mataram O Sidónio!

Francisco Moita Flores 

Mataram_o_Sid_nio.jpg

 Comprei-o em 2012 porque, acima de tudo, se tratava de um romance de cariz histórico, em segundo, porque o Presidente da República Sidónio Pais sempre me despertou curiosidade e, por fim, porque sempre senti interesse em ler algo de Moita Flores, por quem nutro admiração em relação às crónicas policiais. Porém, talvez pela linguagem complexa e pelos termos utilizados ou pela descrição exaustiva sobre medicina legal, este livro tornou-se numa desilusão... pelo menos, até à poucas semanas atrás.

 

Dezembro de 1918. A cidade de Lisboa encontra-se a braços com a pneumónica, a epidemia mais mortífera do século XX, bem como sob efeito de ressaca da Primeira Guerra Mundial. Uma cidade marcada pela fome, miséria e sofrimento. É neste contexto que, o Presidente da República Sidónio Pais é assassinado na estação do Rossio. A polícia prende um suspeito que nunca foi condenado... e, eis os ingredientes que alimentam o livro de Francisco Moita Flores. 

 

Glória Mortal

J.D. Robb/Nora Roberts

9789898032423_1229687158.jpg

 Futurismo e policial não são, de todo, algo que aprecie. Glória Mortal é um livro que mistura os dois mundos, apimentado pelo romance entre os protagonistas, a tenente Eva Dallas e o bilionário irlandês Roarke, numa escrita leve e simples. Mas, a verdade é que, contrariamente à maioria dos leitores e às críticas mais do que positivas, não apreciei o livro nem o género literário de J. D. Robb.

 

Se, até ao passado sábado, dia dois, me tivesse questionado sobre os livros que mais me tinham desiludido, certamente que não hesitaria em responder os títulos dos livros de Francisco Moita Flores e J. D. Robb. Porém, a minha opinião mudou e, por eles, nutro uma certa simpatia a fugir para o não gosto, quando penso que comprei este livro e estou a um passinho de desistir, 

 

O Circo Dos Sonhos

Erin Morgenstern

civ-circo2.jpg

 É, provavelmente, uma das capas de livros mais lindas que já vi e foi exactamente a capa que me cativou. O título é apelativo e a sinopse atraente. Inclusive a organização do livro, com os capítulos separados por páginas pretas de riscas brancas, ilustrando as tendas do circo, chamou-me a atenção. Trouxe-o comigo - em promoção do dia da mãe, por uns seis euros, da note.it - na ânsia e expectativa de ser um livro surpreendente e, de facto, é-o... mas pela negativa.

 

Longe de se comparar ou fazer lembrar a saga Harry Potter, como é mencionado na contracapa do livro, O Circo dos Sonhos leva-nos a conhecer um misterioso circo itinerante que só abre à noite e chega sem qualquer aviso às cidades onde se instala. No interior das tendas de lona às listas pretas e brancas, vive-se uma experiência única e inesquecível e, quem visita o Circo dos Sonhos jamais o esquece. Porém, o circo é palco de um duelo entre dois jovens mágicos, Marco e Celia, treinados desde crianças para este fim, por capricho dos seus mestres e onde só um pode sobreviver. Apesar de tudo e sem que o conseguiam evitar, Celia e Marco mergulham de cabeça no amor...  

 

Falta qualquer coisa a este livro... Falta-lhe movimento. Falta-lhe energia. Falta-lhe algo que cative o leitor desde o início. Falta-lhe mais do que uma capa bonita, um título chamativo e uma história de amor. A minha vontade é desistir e arrumar O Circo dos Sonhos na estante. Muitas personagens, muitos detalhes, muita descrição e a ausência de algo que realmente me absorva e faça continuar... e, nem mesmo as personagens principais, Marco e Celia ou a escrita me conseguem cativar. 

 

Provavelmente ainda seja cedo demais, afinal de contas, o livro conta com perto de quinhentas páginas e eu ainda não ultrapassei as cento e oitenta mas, sinceramente, não sinto que este livro valha o esforço e caminha a passos enormes para se tornar num circo de desilusão.

 

___

 

11180265_10153384994744636_836664787_n.jpg

 O desafio literário foi-me sugerido pela Magda. A ideia é, durante quarenta e cinco dias, todos os dias, à mesma hora, falar-se sobre livros, respondendo às questões sobre o universo dos livros. O objectivo do desafio é simples: se por um lado, consiste numa de gostos e experiências sob o mundo dos livros, por outro, este desafio leva-nos-à a pensar e a reflectir sobre os livros que já lemos. Iniciado a 1 de Maio de 2015 e durante 45 dias, neste blog, falar-se-à maioritariamente de livro. Não se esqueçam de visitar a Magda e conhecer as suas escolhas literárias

Chocolate Book Tag


M*

15.09.14

Andava eu, numa noite sem nada de interessante para fazer, a cuscar o mundo da blogosfera quando me lembrei de passar no blog A Game of Books. A verdade é que eu já tinha ideia de lhe roubar uma ou outra tag engraçada, mas novas palavras foram surgindo e o tempo de as realizar passando. Mas, como se costuma dizer, mais vale tarde do que nunca, aqui esta ela: chocolate book tag. Ora, sendo eu viciada em chocolate, nada melhor do que roubar à Ritz uma tag sobre chocolates e livros... e, como ela escreveu, aqui ficam os meus dez chocolates literários.

 

Chocolate Negro (um livro que fale de um assunto mais pesado, ex.: abuso psicológico ou violação)

O Meu Triste Segredo, Jenny Tomlin.

Jenny é a protagonista de uma verdadeira história de luta e força, de esperança e sobrevivência. O livro relata a história de união e de amor entre Jenny e os irmãos, Kim e Lawrence, que vivem uma infância marcada pelo medo, solidão, violência e abusos por parte dos pais. Um relato chocante e revoltante, onde a esperança parece ser a última a morrer.

 

Chocolate Branco (a tua leitura leve ou cómica favorita)

O Teorema de Katherine, John Green. 

Dezanove foram as vezes que Colin se apaixonou. Das dezanove vezes a rapariga chamava-se Katheriene. Tendo como ponto de partida o fim de mais uma relação, Colin e o seu amigo Hassan, decidem partir à descoberta de novos lugares e pessoas... e, assim, conhecer raparigas especiais com a vantagem de não se chamarem Katherine. Uma leitura leve e divertida que, não sendo de todo a minha favorita, andará bastante lá perto. 

 

Chocolate de Leite (um livro que é muito aclamado e que estás desejosa de ler)

Se eu Ficar, Gayle Forman.

O Pintassilgo, Donna Tartt.

Não resisti e escolhi estes dois. O primeiro será, provavelmente, a próxima leitura, depois de A Guerra dos Tronos A Muralha de Gelo. O segundo terá de ficar para quando o preço do mesmo descer porque, 25€ é demais para o meu bolso... ou quando o encontrar em segunda mão.

 

Chocolate com Recheio de Caramelo (um livro que te faz sentir melosa)

Estrada da Noite, Kristin Hannah.

Um dos meus livros preferidos. Lexi Baill nunca teve uma vida fácil. Desde cedo, negligenciada pela mãe, Lexi vai saltando de família em família de acolhimento. Tudo muda quando, depois da morte da mãe, a assistente social lhe encontra uma tia-avó, de 66 anos, que aceita ficar responsável por Lexi. Assim, a jovem muda-se para Port George, em Washington. A adaptação de Lexi à nova cidade e escola não são fáceis até conhecer Mia, uma jovem de fraca auto-estima e poucos amigos. Lexi e Mia tornam-se as melhores amigas. Mais tarde, Lexi conhece Zach, o irmão gémeo de Mia e, sem querer, apaixona-se por este. A história de um amor adolescente e encantador, obrigado a ultrapassar alguns obstáculos. Apesar de tudo, os três tornam-se os melhores e inseparáveis amigos. Todavia a tragédia acontece quando, os três sofrem um acidente de carro e Mia morre. A vida de Lexi sofre uma nova reviravolta, perdendo tudo: a melhor amiga Mia, o carinho da mãe dos gémeos e o afastamento de Zach. 

Um livro recheado de lições, onde só o amor e o perdão são capazes de salvar e fazer ultrapassar o sentimento de perda e de morte. Foi, que me recorde, o primeiro livro a levar-me às lágrimas.

 

Kit-Kat (um livro que te surpreendeu)

A Vida Louca dos Reis e Rainhas de Portugal, Orlando Leite, Raquel Oliveira e Sónia Trigueirão.

Comprei-o no final do ano passado, numa promoção que encontrei na Book.It. O livro, como o próprio nome sugere, fala sobre os Reis e Rainhas de Portugal e sobre o outro lado das suas vidas que os livros de História não mencionam. Sabem o quanto eu me ri com ele? E, o quanto me elucidou sobre o rumo que o país tomou? Sim, porque para mim, o presente de um país compreende-se no seu passado... e tantas coisas sobre o Portugal de hoje se explicam no passado das escolhas de Reis e Rainhas. Uma leitura leve e esclarecedora. 

 

Snickers (um livro pela qual és louca)

A Sombra do Vento e O Jogo do Anjo, Carlos Ruiz Zafón.

Preciso de dizer algo mais sobre os livros de Zafón? Quem acompanha o blog à algum tempo sabe o quanto adoro estes dois livros!

 

Kinder Surpresa (um livro que te surpreendeu recentemente)

Prometes?, Diana Carvalho e Pedro Barbosa. 

Inês e Afonso são os protagonista  deste romance cujo pano de fundo são as cidades do Porto e de Londres. Se, numa primeira fase, tive dificuldades em gostar do livro pela minha resistência a romances lamechas; ao insistir na leitura, acabei por adorar e devorar a metade final do livro em dois dias. Um livro diferente, sensível e cativante. 

 

Lion (um livro que te deu vontade de rosnar, de tão chateada que ficaste)

Mataram o Sidónio!, Francisco Moita Flores.

Eu juro, juro que já tentei... mas, oh livro chato! 

O curto trajecto de Sidónio Pais enquanto Presidente na Primeira República desencadeou em mim uma certa curiosidade sobre a sua vida. Foi, com o intuito de conhecer um pouco mais sobre ele que, em 2012, comprei o livro de Moita Flores. Li as primeiras 100 páginas. Insisti, persisti e, oh deus, livro entediante! A escrita de Moita Flores também não ajudou nem cativou... muito complexa. Ainda este ano voltei a pegar no livro mas, esqueçam, não à maneira de conseguir ler o livro... um dia, quiçá, quando conseguir esquecer o 'ódio' que tenho do livro.

 

Chocolate Quente com Natas e Marshmallows (que livros escolherias para leitura reconfortante?)

A Filha da Minha Melhor Amiga, Dorothy Koomson.

Um dos meus livros preferidos. Revejo-me na personagem Kamryn, sobre os seus medos e complexos que a acompanham desde a adolescência. 

Kamryn e Adele sempre foram a melhor amiga uma da outra. Porém, relação de amizade não resiste à traição de Adele com Nate, o noivo de Kamryn e da qual nasce uma menina. Passam-se cinco anos e Adele, com a pequena Tegan, entra novamente na vida de Kamryn com a notícia de que iria morrer dentro em breve. Adele quer que seja Kamryn a nova mãe de Tegan. Será ela capaz de perdoar o passado e acolher a menina? E, numa carreira profissional bem sucedida e uma vida social eléctrica, onde entra uma menina de cinco anos?

Uma história de perdão e amor, capaz de nos fazer rir e roubrar algumas lágrimas.

 

Caixa de Chocolates (qual a série que leste que sentes que pode ser lida por uma maior variedade de pessoas?)

As Crónicas de Gelo e Fogo, George R. R. Martin.

Estou no primeiro volume, A Guerra dos Tronos e estou a adorar! Apesar de já ter visto a série e de, volta e meia, a memória me assombrar com situações passadas na série, a verdade é que o livro é realmente muito bom e cativante... julguei que iria desistir por já ter visto a série, mas não, existem sempre pequenos detalhes que a série não mostrou e que o livro retrata. 

Por isto, pelas criticas que já li aos livros e ao autor, considero que esta é a colecção de livros que pode ser lida por uma maior variedade de pessoas... pela forma cativante como escreve, pelos detalhes sem os tornar maçadores, pela história, pelas situações cómicas, enfim, por tudo. 

Mais sobre mim

foto do autor

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D