Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 29 anos*

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 29 anos*

Voltei porque sentia saudades de,


M*

18.09.17

escrever,

partilhar a minha opinião sobre livros,

desabafar,

partilhar opiniões de tudo ou nada,

ler-vos.

Voltei porque sentia saudades de tudo isto e destes espaço que me diz tanto. Voltei e espero, na verdade, procuro não desaparecer... Gosto deste cantinho: do nome, do que escrevo, de quem me voltou a ler. Não é um recomeço, trata-se de continuar...

2a046a8985ead6647cc1b177205f8139.jpg

 

Sobre o que foi feito de mim nos últimos meses pouco ou nada existe à acrescentar. Mantenho o mesmo trabalho como operadora de loja num hipermercado, o mesmo horário, funções e responsabilidades. Continua a não ser o meu emprego de sonho e definitivamente não será a minha escolha de vida, mesmo que me permita crescer profissionalmente, mas foi o que se arranjou. Obviamente que não desisti de lutar por mais e quase todos os dias consulto diversas ofertas de emprego e acredito que novas oportunidades surgiram.

 

 

Se a nível profissional nada parece ter mudado, o mesmo não posso escrever sobre o amoroso. Conhecia uma pessoa maravilhosa, por dentro e por fora, que tanto tem feito por mim. É o meu porto de abrigo, o meu apoio, alguém que não me deixa desistir dos meus sonhos e me aceita como sou, motivando-me a lutar e a acreditar em mim. Continuo a lutar contra os meus medos e fantasmas mas, ao lado dele, as coisas parecem mais fáceis... ele consegue sempre acalmar-me e ver o outro lado de tudo. A melhor coisa que me aconteceu nos últimos tempos... um ano e dois meses muito felizes.

 

A leitura, a minha outra paixão, ficou um pouco penalizada pelo meu trabalho. É verdade que o meu dia laboral termina cedo mas, também se inicia de madrugada, reflectindo-se na minha capacidade de leitura... demoro mais tempo a ler do que outrora. Não leio quatro ou cinco livros por mês mas sinto-me feliz por, quase todos os dias, me dedicar um pouco à leitura, antes de me deitar, e conseguir concluir um a dois livros por mês. Continuo, apesar das minha condicionantes, a ter muitos livros por ler e a não desistir de adquirir novos livros... é estúpido, bem sei, mas a paixão fala mais alto. 

o-ministerio-do-livro-adverte-quanto-mais-livros-v

Por fim, para quem ainda se lembra, a minha irmã mais nova entrou no ensino superior o que me levou a mergulhar numa onda de nostalgia e saudades da minha vida académica.

 

E, agora sim para concluir, vou pintar o cabelo... 

Resoluções.


M*

03.01.17

Nunca fui dada a resoluções de ano novo. A verdade é que das poucas vezes que tracei planos para um novo ano antes de Janeiro terminar já eu desistirá dos mesmos. Provavelmente consideraram que alguém assim é fraco ou sem objectivos mas, na minha perspectiva, iniciar um ano focado em resoluções como emagrecer é um bocadinho tonto, ou seja, não deve ser o novo ano o responsável por isso mas sim nós mesmos numa qualquer altura... porque novos começos somos nós que os fazemos.

 

Não tenho planos para o novo ano mas decidi, por estes dias, que está é a melhor altura para me lançar nos objectivos de poupar mais, ler mais, escrever mais. Comecemos pelo último objectivo...

 

O blogue, este diário, nasceu no início do ano de 2014, por necessidade de desabafar e escrever o que me vai na alma. A data, uma mera coincidência, marcou-me pelas amizades que nasceram da escrita, pelos ensinamentos e lições, pela partilha de livros e do prazer de ler, pelas conquistas que alcancei nos 3 anos de blogue. É certo, porém, que a meio do ano anterior a escrita tornou-se praticamente esquecida e inexistente em virtude de um trabalho extremamente cansativo fisicamente - e no qual ainda me mantenho - mas, graças a incentivos de alguém importante, decidi retomar algo que tanto prazer me deu e dá. Quero escrever mais porque, a verdade é somente esta: eu sinto mesmo falta de escrever e de me sentir lida.

 

Ler mais. Eu sempre li muito mas, tal como o anterior motivo, a verdade é que 2016 ficou à quem das minha expectativas. A culpa não é do ano ou totalmente do trabalho que tenho, mas de mim e da falta de vontade que às vezes se apoderava... e é precisamente isso que pretendo combater. Conheci, a meio do marcante ano de 2016, o "meu" menino a quem eu, apesar de todos os contras e da minha apatia para a leitura, acabei por incutir o gosto de ler... e entre os dois nos incentivamos a ler.

 

O objectivo de poupar não é de agora, é um plano antigo que procuro implementar ao longo dos dias. A verdade é que a necessidade de crescer, de me tornar mais responsável e independente implicam que aprenda a gerir mais e melhor o meu salário, apesar de todos os progressos. Esperemos que os próximos dias, semanas e meses sejam de consolidação de objectivos antigos que não nasceram em noites de passagem de ano. 

 

Não são resoluções mas é a isto que me proponho para o novo ano que se avizinha... que 2017 seja um ano aninda melhor do que aquele que terminou.

A verdade das saudades de escrever.


M*

05.07.16

A verdade é que eu sinto saudades de escrever. A verdade é que, igualmente e tristemente, não tenho conseguido escrever. Falta-me o tempo; ou saber organizar-me. Falta-me a vontade; ou a paciência de quem sente o desgaste físico de um trabalho esgotante. Falta-me algo. Escrever. Sinto falta de escrever: sobre mim, sobre as minhas leituras, sobre os meus mil e uns pensamentos. Ler. Ler livros, partilhar leituras, ler quem se relê nas minhas palavras. A verdade é que regresso... ou procuro regressar àquilo de que tanto sinto falta. Amanhã escrevo sobre livros. Hoje escrevo sobre saudades.

 

nknldr

 

A felicidade é ...


M*

07.05.16

... saber que as minhas palavras constaram na reedição de um dos meus livros favoritos de todo o sempre! 

 

Captura de ecrã 2016-05-6, às 22.05.08.png

 

A Porto Editora diz que gostou muito da minha crítica literária a Viver Depois de Ti de Jojo Moyes e, como tal, as minhas palavras constaram na reedição do livro, a sair em breve, desta feita com os protagonista do filme como capa. 

 

Confesso, poucos livros me abalaram tanto quanto este (...) Um livro capaz de me fazer reflectir sobre as minhas próprias escolhas... desejar largar tudo e viver tão intensamente como as personagens nos incentivam. 

 

A informação chegou-me ontem, durante a tarde, por intermédio de um assessor de comunicação e, bom, vocês nem imaginam a minha felicidade e surpresa a ler o email. Fui inundada por um misto de felicidade e orgulho... e tinha mesmo de o partilhar convosco!

 

296096_pt_Fotor_Collage.jpg

(capa do livro | cartaz do filme) 

 

Um livro que me diz tanto, uma leitura inesquecível, uma narrativa poderosa e reflexiva... e as minhas palavras neste livro que eu tanto adoro. Recomendo, mil vezes, a leitura deste livro. 

 

Obrigado Porto Editora!

Mais sobre mim

foto do autor

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D