Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 29 anos*

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 29 anos*

Inspira-me 4 | Música em modo aleatório


M*

18.07.14

Sou apaixonada por músicas latinas. 

Pouco importa o país de origem ou se conheço o cantor ou cantora, o importante é que me entre no ouvido e me faça desejar levantar da cadeira para dançar... e, volta e meia, pareço uma maluquinha ao som de uma qualquer música latina. Ritmo, letra, batida e a forma como o corpo e a mente reagem à música são essenciais. O facto de ter nascido num país onde predominam os ritmos quentes e mexidos, independentemente dos anos de vida que lá passei e de, durante muitos anos, o meu pai colocar sempre músicas espanholas e latinas no rádio cá de casa, influenciaram a minha cultura musical. Considero-me uma pessoa com um gosto diversificado mas, sobretudo, de fases: ora escuto fado, ora pimba, ora pop ou somente músicas portuguesas ou espanholas ou italianas ou, até, francesas... o que me apetecer mediante o meu estado de alma e mais me agradar ao ouvido. E, principalmente, não me considero uma inculta musical só porque pop e latino são dos meus géneros musicais preferidos (como o meu ex fazia questão de referir)

Ora, colocado tudo em pratos limpos, quis o Sapo Blog saber que música tocaria no nosso telemóvel uma vez colocado em modo aleatório. No meu samsung, a música que toca em primeiro lugar e no modo aleatório é,

 

Como Le Gusta A Tu Cuerpo,

Carlos Vives com Michel Teló

 

seguramente uma das mais mexidas da minha lista. Gosto desta combinação que descobri no Spotify - onde, aliás, descubro imensas músicas de diversos géneros. 

O brasileiro Michel Teló juntou-se ao colombiano Carlos Vives e o resultado musical está à vista numa música mexida, vibrante, alegre, bem disposta e caliente. O videoclip despertou-me a vontade de conhecer as praias colombianas (e eu que não gosto de praia). Não conhecia o Carlos mas, rapidamente, percebi que gosto das suas músicas e já várias delas fazem parte do meu reportório musical. 

Podem apelidar-me do que quiserem mas, para mim, tudo o que seja música latina é, certamente, apreciado e muito bem recebido... e, é claro, também existem músicas latinas que nada me dizem nem gosto (embora em menor número). A minha irmã, por exemplo, não gosto deste género musical: diz que não sei o que é boa música e que não passam de músicas pimbas cantadas em língua espanhola. Enfim, gostos são gostos... e  fases, também. 

Uma selfie...


M*

04.06.14

...de 1920. 

Porque, no fundo, sempre existiram... só que, no presente, dá-se nome chique. 

Eu quero! Eu quero!


M*

29.05.14


Quando é que este kit chega a Portugal? Eu quero muito, muito, muito! 

Mal abro o Facebook...


M*

29.05.14

...dou de caras com as fotografias do aniversário de uma conhecida. Ao 'cuscar' as imagens, o meu único pensamento que tive foi,

 

Mas quem é que oferece como presente de aniversário, um champô?! Ao menos se fosse uma marca toda xpto...!

Aos 25 descobri que devo ter qualquer coisa de Madre Teresa.


M*

28.05.14

Aos 25 (quase 26) descobri que devo ter qualquer coisa em mim de Madre Teresa de Calcutá.

Sempre me perguntaram como é que eu tinha paciência e capacidade de aturar certas coisas e pessoas, como é que mantinha a calma para não desatar aos berros na primeira oportunidade ou a dizer à alminha que me pedia ajuda que, como se diz aqui pelo Norte, 'desemerda-te'. Confesso que, nem eu mesma sei onde vou buscar essa capacidade. Mediante as situações, raramente expludo e, quando acontece, os alvos da minha descarga são familiares (nada que não passe rapidamente).

Mas, esta alminha, está a pedir uma resposta do género,

 

Filha, arranja-te. Eu também já passei por isso e fiz sozinha os meus trabalhos, sem qualquer apoio. S-O-Z-I-N-H-A!

 

Resumidamente, desde segunda-feira, tenho uma miúda que nunca vi, embora tenhamos frequentado o mesmo curso, a moer-me a paciência. Pede-me ajuda com trabalhos, pede-me outros trabalhos, pergunta-me sobre estágios e opções. E eu, que sou um coração mole, vou-lhe respondendo: envio-lhe o que fiz no passado, dou-lhe indicações para melhorar e coloco a minha criatividade ao seu dispor para lhe sugerir como fazer a apresentação. Desliguei, hoje, inclusive o chat do facebook para evitar cair na tentação de ficar até às duas da manhã a ajudar mas, mesmo assim, não resisti... enquanto escrevo, estou a falar com ela. Fazer-me o quê?

Mais sobre mim

foto do autor

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D