Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 29 anos*

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 29 anos*

2.


M*

04.01.16

 

Era uma manhã de sábado, no meio de mil e um sentimentos de uma vida, nasce um blogue. O primeiro post é publicado às 13h25, depois de um passeio junto ao mar - recordo-me bem -, os passos seguintes são pequenos e indecisos. O blogue, este blogue, tenho-o dito várias vezes, nasceu num momento de mudança negativa da minha vida, dos medos e receios, num turbilhão de mil sentimentos. Precisava de encontrar um pouco de paz, de conforto, de esperança... escrever e desabafar o que me ia na alma. Escrever sempre teve um efeito calmante e foi numa tempestade de pensamentos que nasceu a M* e Um Mar de Pensamentos

 

Era uma manhã de sábado igual às demais manhãs, cismava nos mesmos pensamentos negativos, precisava de mudar. Sou repetitiva. Já o mencionei mais do que uma vez no passado, mas não me canso de referir que estava longe de imaginar tudo o que de bom escrever me daria. Um espaço onde nascem amizades, onde me sinto acarinhada, onde partilho uma das maiores e mais importantes paixões. Renasci nas palavras, nos gestos de carinho, nas amizade que crescem, nas partilhas de pedaços de vida.

 

Era uma manhã de sábado e hoje, dois anos depois, apesar dos altos e baixos do blogue e da minha vida, permaneço aqui, num espaço que me faz feliz...

 

tumblr_nla8lb2TpD1r1d04qo1_540.png 

 

4 de Janeiro de 2014, 13h25: uma data especial.

Um ano,


M*

05.01.15

aqui o estaminé celebrou ontem o primeiro aniversário.

 

jlwnsfgl.jpg

 

Escrever não é fácil. Para nós ou para os outros, nem sempre é fácil encontrar as palavras ou simplesmente ter vontade. Escrever, seja porque motivo for, não é simples. Às vezes bloqueio com o título ou numa palavra no decorrer do texto, dou voltas e voltas, acabo por desistir. Outras, vinte e quatro horas não chegam para tudo o que quero fazer - como ontem.

 

Escrevo à um ano, parece tão pouco, parece que foi ontem e, trezentos e sessenta e cinco dias depois, aqui estou eu, novamente... julguei que nem aguentasse os primeiros seis meses. Somos uns bebés, eu e o blog, nos passos na escrita, a viver um dia de cada vez.

 

Quando me aventurei, no dia de ontem de 2014 (propositadamente escrito), numa espécie de resolução/desejo de novo ano, estava longe de imaginar tudo o que de bom iria receber - e, sobre isto, escrevi aqui e aqui (mas não só). No presente, noto que perderia mais em deixar a escrita... acho que aprendi a não viver sem a escrita.

 

O meu blog pessoal de mim celebrou o seu primeiro aniversário. Escrevo o que me apetece. Amor, amizade, trabalho, sonhos, família, roupa, saudades, lutas, banalidades, curiosidades, pensamentos, partilhas, livros, solidão Uma espécie de diário. E, assim será. No dia em que sentir obrigação em escrever, apesar do que anteriormente escrevi, desisto. Não sou boa com obrigações. Para isso já basta o dia-a-dia. Um dia após dia e, quem sabe, no próximo ano voltamos a festejar...

 

Para terminar, antes que me torne uma chata repetitiva, uma última mensagem,

 

nfknea.jpg 

 

um enorme obrigada pela amizade, mimos e palavras.

 

 

 

 

(aquele M ali ao lado, um miminho da Magda e da Sofia que, e podem-me bater, me faltaram as palavras para agradecer... na verdade, acho que nunca as tive) 

Ano novo, vida nova.


M*

04.01.14

 

 

Diz o ditado que o início de um novo ano, significa o início de uma nova vida. Embora eu não acredite nisto, a verdade é que, o quarto dia de 2014 trouxe-me o renascer de algo que sempre me deu prazer: escrever. Ok, não é culpa do novo ano. Já tinha pensado em escrever um blogue, onde pudesse desabafar e escrever o que me vai na alma. 

Faltava-me a vontade, o que escrever... e, até, um nome. A verdade é que não tenho muito para escrever sobre mim: nos últimos meses, sobre a minha vida à pouco a contar. No entanto, tenho tantos pensamentos para desabar e não tenho com quem ou onde. Guardo-os na alma, mas preciso de os partilhar com alguém... um mar de pensamentos sobre mim, sobre os outros, sobre tudo e sobre nada. 

Mais sobre mim

foto do autor

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D