Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 28 anos*

Um Mar de Pensamentos

Livros: os meus critérios na hora de comprar.

Livros. Uma paixão, fonte de conhecimento e descobertas, uma companhia. Livros. E, na hora de comprar um novo companheiro, eis-me num enorme dilema...

 

Quem me conhece, onde moro, sabe que sou uma amante de livros. Raramente saiu-o de casa sem a companhia de um livro, muitas vezes levo-o na mão e, é sempre muito provável encontrar-me a ler. Posto isto, recentemente, alguém me perguntou que critérios utilizo na hora de escolher uma nova viagem literária. A verdade é que, durante muito tempo, antes de consolidar esta paixão - sim, porque todas as paixões passam por fases - simplesmente comprava porque alguém me recomendava o livro ou porque o livro me despertará a curiosidade. Li-a, essencialmente, porque ouvirá falar bem daquele livro, ou alguém o mencionará, e lá o trazia para casa. Existiu, igualmente, uma fase em que eram os títulos ou as capas quem principalmente me chamavam a atenção. Foi, assim, desta forma, sem conhecer o autor ou ler críticas, que acabei a tropeçar num dos meus livros favoritos, A Sombra do Vento. Mais tarde, em casa de um amigo, deparei-me com a colecção pessoal dos seus livros de Carlos Ruiz Zafón e, foram as críticas dele que me incentivaram a ler os restantes livros... e, ainda bem!

 

Presentemente, estes critérios ainda assumem um peso importante na hora de comprar um novo livro embora, não sejam os únicos... A espontaneidade com que seleccionava livros, provocaram-me alguns desgostos literários e, numa fase, a afastar-me destes. Portanto, no que toca a trazer novos elementos para a já longa lista de livros em espera, pesam os seguintes critérios, sem qualquer ordem preferencial:

Capa. A verdade é que, não consigo negar o oposto, a capa é dos primeiros chamariz para pegar num livro. Obviamente que, outros critérios contam na hora de comprar aquele livro mas, se a capa me chamar a atenção na imensidão de livros, certamente que será meio caminho andado para uma possível compra. 

 

Título. O título do livro é, muitas vezes, uma porta aberta para decifrar o conteúdo de um livro ou, igualmente, para captar a atenção de quem lê. Confesso que, já comprei e li livros meramente pelo título e, como em qualquer paixão, já me desiludi e surpreendi.

 

Autor. Adoro aventurar-me na descoberta de novos autores. Porém, a verdade é que, depois de algumas desilusões com escritores desconhecidos, optei por ter mais em conta quem escreve, bem como a algumas...

 

Linhas do livro. Normalmente, opto por ler as primeiras linhas de um capítulo para, sobretudo quando o autor me é desconhecido, perceber se gosto da escrita. Folhei e leio linhas, ao qual associo outro critério, a...

 

Sinopse. Nem sempre as sinopse são favoráveis a um livro. Quando comprei o livro Nunca Me Esqueças de Lesley Pearse, a sinopse não captou totalmente a minha atenção. Comprei-o pelo motivo que indicarei mais à frente mas, se fosse pela sinopse, nunca teria lido o livro. Nunca lerá nada de Lesley Pearse e, pela capa, título e sinopse, avaliei-o como um livro lamechas e cor-de-rosa. No entanto, o livro tornou-se um dos meus favoritos e a sinopse está longe de valorizar verdadeiramente a história...

 

Recomendações/críticas. Tento evitar recomendações embora, tal não significa que não leia um livro porque me tenha sido recomendado. Há, por exemplo, o Perguntem a Sarah Gross de João Pinto Coelho, recomendado pela Magda, que me anda a deixar com a pulga atrás da orelha. Somos todos distintos e, portanto, o que para mim é um mau livro, para outro alguém é um excelente livro. Exemplo disso foi Mataram o Sidónio! de Francisco Moita Flores em que, a Magda gostou e recomenda e eu, nem por isso... 

 

Género literário. Sou apaixonada por romances históricos é, logo, fácil de perceber que são dos livros que mais habitam a minha estante, que mais compro e leio. Tal não significa que não leia outros género literários mas, na dúvida, são os romances históricos que vencem...

 

Preço. Adoptei, roubando a ideia da Nathy, a política de só comprar livros abaixo dos dez euros... embora, se o livro me ficar a doze euros e for algo que procure à imenso tempo, seja bastante flexível. Índice Médio de Felicidade de David Machado era daqueles livros que queria faz muito tempo, desde uma qualquer reportagem que virá na televisão - como podem ler, sou bastante flexível com as recomendações/críticas... desde que me captem a atenção - e, quando o encontrei numa feira do livro por aproximadamente doze euros, deixei a política dos dez euros de lado e trouxe-o comigo. Sem culpas. 

 

Grupos em segunda mão no facebook. Na hora de comprar um livro, sobretudo quando o preço ultrapassa o meu valor, pergunto-me se será fácil de o comprar num grupo em segunda mão de facebook, se já o vi por lá. Procurei, durante muito tempo, por este meio, Arroz de Palma de Francisco Azevedo, sem qualquer sucesso. Por isso, quando o vi numa feira do livro a aproximadamente onze euros, não lhe resisti... sabia que, era uma das minhas poucas chances de o ter comigo. E, obviamente, todos os critérios anteriores se aplicam às compras em segunda mão embora, nestes casos, pese também o estado do livro (se está ou não riscado).

 

Outro critério meu é, definitivamente, a quantidade de livros que reclamam a minha atenção e o tempo que terei para lhes dedicar... neste momento tenho mais de vinte livros por ler e, contrariamente à maioria nesta época de Verão, faltará tempo para lhes dedicar, visto que estou a trabalhar.

 

tumblr_l8b1bivM791qbn79go1_500_large_large.jpg

 

Portanto, na hora de comprar um novo livro, eis os meus vários critérios... bom, confesso que, às vezes mando os critérios às ortigas e compro um livro pelo prazer de comprar um novo livro. Sem culpas ou receios. Só porque sim. 

17 comentários

Comentar post