Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 28 anos*

Um Mar de Pensamentos

Em 2015 vou,

fazer uma viagem, comprar menos livros ou caminhar uma hora... sim, em 2015 vou fazer tudo isso mas, antes demais, em 2015 terei de conseguir cumprir promessas que ficaram por realizar em 2005. A verdade é que, lá para meio de Fevereiro, já me esqueci da minha lista de metas a concretizar. Não vale a pena. Mais dia menos dia, acabo por esquecer ou encontrar uma qualquer desculpa. 

 

Esqueçam... 

 

Não vou fazer uma viagem, nem comprar menos livros - a não ser que, de facto, a carteira não me permita -, nem tão pouco escrever que vou começar a caminhar uma hora no principio de Janeiro. Também não vou prometer que como menos chocolates ou que vou ler oitenta livros ou começar a praticar um desporto. A vida não se baseia em promessas de ano novo. 

 

Tenho tanto em mim para mudar mas, não vou fazer uma lista de tarefas a realizar em 2015. Tenho tanto a mudar, tanto a prometer e, no entanto, acredito que, a cada novo amanhecer, algum pequeno irei mudar. Hoje apetece-me ler e amanhã talvez não. Acredito que os dias devem ser construídos segundo o que nos apetece ou mediante o que o novo amanhecer nos proporciona. Hoje apetece-me caminhar e amanhã correr e, quem sabe, no domingo vou fazer uma hora de bicicleta. 

 

Não tenciono pedir desejos de ano novo ou vestir algo novo para atrair a suposta boa sorte. Abandonei essa prática. Não resulta. De que me vale pedir amor se as coisas acontecem, segundo dizem, quando deixamos de o buscar? O ano ainda agora começa e nós já tanto lhe pedimos... amor, saúde, trabalho, paz... ele que chegue e surpreenda, sem desejos ou listas de objectivos.

 

Vou passar a noite em casa, na cama, enrolada nas mantas e a ler um livro... afinal o que muda com uma noite? Nada! Absolutamente nada. É, como costumo dizer, uma noite para todos os exageros. Portanto, não vou a nenhuma festa. Vou ler. Se é deprimente uma jovem de vinte e seis anos passar a noite em casa? Um bocadinho. Mas, afinal, o que muda com o novo ano? Nada, apenas o mês e o número no final da data...

 

Ainda assim e, em jeito de resumo,

 

Em 2015 vou esperar para ver que surpresas me reserva, vivendo um dia de cada vez e mudando a cada novo amanhecer. Tenho esperança que, apesar de tudo, este seja o meu ano.

 

É, como diz Carlos Drummond de Andrade na sua Receita de Ano Novo,

 

carlos-drummond1.jpg 

E, aproveitando o texto, para todos os que por aqui passam, votos sinceros de um feliz

bb_Fotor.jpg.

 

17 comentários

Comentar post