Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 29 anos*

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 29 anos*

A Sociedade dos Sonhadores Involuntários de José Eduardo Agualusa.


M*

26.09.17

9789897223327.jpg

 Um jornalista angolano, uma artista plástica moçambicana, um neuro-cientista brasileiro e um hoteleiro, antigo guerrilheiro, com um passado obscuro e sombrio são os protagonistas deste romance de Agualusa. O que existe em comum às quatro personagens? Os sonhos. Daniel, o jornalista, sonha com pessoas que não conhece. Moira, a artista, encena e fotografa os seus sonhos. Hélio, médico, filma os sonhos dos seus pacientes. Hossi, o ex-guerrilheiro, tem sonhos estranhos e misteriosos. O universo dos sonhos une as personagens, numa Angola em mudança.

 

A Sociedade dos Sonhadores Involuntários é, mais do que um romance sobre o valor e o poder dos sonhos, é uma crítica e social à realidade angolana. É, por um lado, a crítica àqueles que no passado lutaram pela independência da sociedade angolana e que, no presente, se resignam ao regime. É, por outro, uma homenagem de Agualusa aos jovens que sonham e lutam pela democracia e liberdade plena. É um livro de enorme beleza e coragem, ao qual é impossível ficar-lhe indiferente.

 

José Eduardo Agualusa não me era um escritor totalmente desconhecido. Trata-se do meu segundo encontro literário com o escritor angolano. A Vida No Céu, outro romance utópico sobre sonhos, marcou-me profundamente pela sensibilidade e beleza de escrita. Assinalei-o, desde essa leitura, como um autor a reencontrar. E, A Sociedade dos Sonhadores Involuntários continua marcado pela delicadeza, beleza, criatividade e coragem do escritor. Agualusa é, de facto, um tradutor de sonhos - como Mia Couto o apelida na contra-capa do livro -, um poeta de sonhos, um autêntico sonhador... mais do que sonhar, José Eduardo Agualusa relembra-nos que cada um de nós tem o dom de mudar o mundo. 

 

O medo destrói as pessoas.

(...)

O medo não é uma escolha. Não há como evitar sentir medo. Contudo, podemos escolher não nos rendermos a ele. Eu e os meus companheiros escolhemos lutar contra o medo.

___

 

Sinopse:

O jornalista angolano Daniel Benchimol sonha com pessoas que não conhece. Moira Fernandes, artista plástica moçambicana, radicada em Cape Town, encena e fotografa os próprios sonhos. Hélio de Castro, neurocientista brasileiro, filma-os. Hossi Kaley, hoteleiro, antigo guerrilheiro, com um passado obscuro e violento, tem com os sonhos uma relação ainda mais estranha e misteriosa. Os sonhos juntam estas quatro personagens num país dominado por um regime totalitário à beira da completa desagregação.
A Sociedade dos Sonhadores Involuntários é uma fábula política, satírica e divertida, que desafia e questiona a natureza da realidade, ao mesmo tempo que defende a reabilitação do sonho enquanto instrumento da consciência e da transformação.

 

Autor: José Eduardo Agualusa

ISBN: 9789897223327

Edição ou reimpressão: Maio de 2017

Editor: Quetzal Editores

Idioma: Português

Páginas: 280

Por aqui,


M*

25.09.17

já choveu. O céu acordou de um cinzento tristonho. À hora de almoço o nevoeiro cobriu a vista e, com ele, o frio que se entranha no corpo. Pouco passam das 17 da tarde e paisagem que outrora mal se via, veste-se de claridade, azul, sol e calor.

 

Isto é um claro sinal de que vivo numa vila de clima especial, único, quase tropical ou sinal/efeito das mudanças climatéricas? 

Tag | Livros Únicos.


M*

22.09.17

Confesso-me: tinha saudades de responder a uma tag literária. Nos últimos meses, sempre que lia uma, dava por mim a responder às mesmas, sem compartilhar com ninguém... é um sentimento triste. Por isso, resolvi pesquisar pela blogosfera uma entrevista sobre livros e descobri esta - daqui - sobre livros únicos e convosco partilho as minhas respostas,

 

01. Livro único que te deixou desejando continuação...

liv01990091_f.jpg

Por Treze Razões é um livro forte onde temas como o bullying, a depressão ou a violação são abordados na forma de treze cassete gravadas, em que cada uma delas revela um motivo e uma pessoa que levaram ao suicídio de Hannah. Adaptado a série, o livro de Jay Asher é um livro forte e marcante que nos leva a questionar a forma como cada personagem retrata refaz a sua vida depois de Hannah desaparecer...

 

02. Livro único que cumpriu sua proposta. Só um foi suficiente...

Ele-Esta-de-Volta.jpg

Ele Está de Volta, uma crítica política e social sobre a era moderna das redes sociais e dos medias. Adolf Hitler é a personagem principal desta narrativa. Personagem marcante da História, Hitler acorda em pleno século XXI, numa Alemanha irreconhecível. Pontuado por muito humor, Timur Vermes mostra-nos uma sociedade em que qualquer um, com cariz e bom falar, pode criar uma legião de seguidores.

 

03. Livro único com personagens únicos,

19204365_HlJv6.jpg

O Rouxinol retrata a história de duas irmãs francesas, a forma como cada uma enfrenta o inimigo, no decorrer da II Guerra Mundial. Um livro onde Kristin Hannah escreve magistralmente sobre amor e amizade, ódio e sofrimento... é uma leitura à qual é impossível ficar-lhe indiferente.

 

04. Livro único que tem cara de série de tão completo que é...

Diz-me quem sou.jpg

Em Diz-me Quem Sou, Julia Navarro leva-nos a conhecer a História do século XX em mais de mil páginas, recheado de intrigas, amor, traição e sofrimento. É um livro tão recheado de aventuras, desde os anos da Guerra Civil Espanhola à II Guerra Mundial, a queda do muro de Berlim e da Guerra Fria, que merecia mais do que um livro único. 

 

05.  Livro único que você leu super rápido...

250x.jpg

Maldito Karma é um daqueles livros que se lê a correr de tão leve e cómico que é. É, provavelmente, um dos livro mais divertido da minha estante.

 

06. Livro único de um de seus autores favoritos,

250x.jpg

Marina é um livro pequenito e fácil de ler, marcado de amor e fantasia, muito ao estilo de Carlos Ruiz Zafón.

 

07. Livro único que você recomenda a todos,

1054333_1343819328.jpg 

Estrada da Noite foi o primeiro livro que li de Kristin Hannah e um dos que mais me marcou. Um livro que não se limita a falar sobre o amor mas aborda temas tão sensíveis como a perda de um filho, o perdão e a traição... é impossível não aconselhar a sua leitura.

 

08. Livro único que te fez chorar.

CAPA Uma praça em Antuérpia - Portugal 2015.jpg

Uma Praça em Antuérpia relata a história de duas irmãs portuguesas separadas pela II Guerra Mundial. Uma narrativa intensa e viva, surpreende-nos com as interrogações, desencontros e fatalidades, que mudam a história das irmãs. 

 

09. Livro único fora da sua zona de conforto.

500x.jpg

Não é um livro único, trata-se de uma trilogia mas foi o único que me ocorreu como resposta a esta questão: As Cinquenta Sombras de Grey. O romance erótico não faz o meu género literário. Compreendi-o depois de ler o primeiro e metade do segundo volume desta triologia. Portanto, é difícil que volte a cair no erro de adquirir um livro único sobre este género... ou baseados em narrativas de terror. 

 

10. Quem você taqueia?

 

Tu, que me lês desse lado... sim, tu mesmo! É a ti que te taqueio. Sente-te à vontade para responder... fico à espera de cuscar as tuas respostas.

Quando o carteiro chega,


M*

20.09.17

as pessoas normais pensam sempre em contas. Já eu, pelo contrário, quando o carteiro chega só penso nos livros que encomendei e no quanto eu os desejava...

12519616_202806873414149_2099397071_n.jpg

Chegou, finalmente, a minha tão ansiada encomenda da Wook. Esperava-os desde o início do mês, mal soube do mais recentemente lançamento literário, e por eles fiz questão de escolher, depois de terminar Mulheres Sem Nome, um livro pequenito de ler: optei por A Sociedades dos Sonhadores Involuntários de José Eduardo Agualusa.

 

Eu estava em pulgas por ler estes dois livros,

1505925701478.jpg

Um Mais Um é o mais recente lançamento literário de Jojo Moyes. Vitória - A Jovem Rainha é um daqueles livros que já namorava à alguns meses mas que aguardava a melhor oportunidade para o adquirir.

 

A questão que se coloca, agora, é: por qual é que começo? Provavelmente por Jojo Moyes. 

Voltei porque sentia saudades de,


M*

18.09.17

escrever,

partilhar a minha opinião sobre livros,

desabafar,

partilhar opiniões de tudo ou nada,

ler-vos.

Voltei porque sentia saudades de tudo isto e destes espaço que me diz tanto. Voltei e espero, na verdade, procuro não desaparecer... Gosto deste cantinho: do nome, do que escrevo, de quem me voltou a ler. Não é um recomeço, trata-se de continuar...

2a046a8985ead6647cc1b177205f8139.jpg

 

Sobre o que foi feito de mim nos últimos meses pouco ou nada existe à acrescentar. Mantenho o mesmo trabalho como operadora de loja num hipermercado, o mesmo horário, funções e responsabilidades. Continua a não ser o meu emprego de sonho e definitivamente não será a minha escolha de vida, mesmo que me permita crescer profissionalmente, mas foi o que se arranjou. Obviamente que não desisti de lutar por mais e quase todos os dias consulto diversas ofertas de emprego e acredito que novas oportunidades surgiram.

 

 

Se a nível profissional nada parece ter mudado, o mesmo não posso escrever sobre o amoroso. Conhecia uma pessoa maravilhosa, por dentro e por fora, que tanto tem feito por mim. É o meu porto de abrigo, o meu apoio, alguém que não me deixa desistir dos meus sonhos e me aceita como sou, motivando-me a lutar e a acreditar em mim. Continuo a lutar contra os meus medos e fantasmas mas, ao lado dele, as coisas parecem mais fáceis... ele consegue sempre acalmar-me e ver o outro lado de tudo. A melhor coisa que me aconteceu nos últimos tempos... um ano e dois meses muito felizes.

 

A leitura, a minha outra paixão, ficou um pouco penalizada pelo meu trabalho. É verdade que o meu dia laboral termina cedo mas, também se inicia de madrugada, reflectindo-se na minha capacidade de leitura... demoro mais tempo a ler do que outrora. Não leio quatro ou cinco livros por mês mas sinto-me feliz por, quase todos os dias, me dedicar um pouco à leitura, antes de me deitar, e conseguir concluir um a dois livros por mês. Continuo, apesar das minha condicionantes, a ter muitos livros por ler e a não desistir de adquirir novos livros... é estúpido, bem sei, mas a paixão fala mais alto. 

o-ministerio-do-livro-adverte-quanto-mais-livros-v

Por fim, para quem ainda se lembra, a minha irmã mais nova entrou no ensino superior o que me levou a mergulhar numa onda de nostalgia e saudades da minha vida académica.

 

E, agora sim para concluir, vou pintar o cabelo... 

Mais sobre mim

foto do autor

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D