Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 28 anos*

Um Mar de Pensamentos

4 | Da Minha Estante...

Os planos de Anna Oliphant são simples e comuns a qualquer adolescente: sair com a sua melhor amiga, Bridgette e conquistar o colega de trabalho. Porém, os desejos de Anna não correm como previsto quando o pai, um famoso escritor e cineasta, decide que o melhor para ela é passar o último ano antes de ingressar na universidade num colégio interno em França. Anna é, assim, obrigada a mudar-se de Atlanta, nos Estados Unidos, para Paris, uma cidade romântica e famosa, mas à qual ela pouco ou nada conhece. 

 

Eis tudo o que sei sobre França: Madeline, Amélie e Moulin Rouge. A Torre Effiel e o Arco do Triunfo também, embora não saiba qual a verdadeira função de nenhum dos dois. Napoleão, Maria Antonieta e vários reis chamados Luis. Também não sei o que fizeram, mas acho que têm alguma coisa a ver com a Revolução Francesa, que tem algo a ver com o Dia da Bastilha. O museu de arte chama-se Louvre, tem o formato de uma pirâmide, e a Mona Lisa vive lá juntamente com a estátua da mulher sem braços. E tem cafés e bistrôs - ou lá como se chamam - a cada esquina. E mímicos. A comida é alegadamente boa, as pessoas bebem muito vinho e fumam muitos cigarros. 

Ouvi dizer que não gostam de americanos e nem de ténis brancos.

 

Para Anna, a mudança não é bem aceite e adaptação à cidade e à escola difíceis... Até conhecer Étienne St. Clair, um jovem deslumbrante, pelo qual todas as meninas suspiram mas que têm namorada. Os dois tornam-se grandes amigos e, entre eles, nasce algo ao qual tentam fugir. Conseguirá Anna o seu beijo francês ou algumas coisas simplesmente estão destinadas a nunca acontecer?

 

 
Uma história deliciosa sobre as incertezas que o amor nos provoca traduzidos na celebre questão Mas, será que ele também gosta de mim?. Embora o final seja previsível, o livro prende-nos desde as primeiras páginas à última, numa escrita simples e envolvente, apimentado por surpresas. Confesso, no entanto, que em alguns momentos tive vontade de saltar para o interior das folhas do livro e dar um daqueles valentes safanões à protagonista pelo óbvio das situações... e, quantas vezes não sofremos do mesmo mal?
A história de Anna e St. Clair é mágica e capta a sensação única de se estar apaixonado. 
 
 
 
Em, Dos Meus Livros encontraram outras citações de Anna e o Beijo Francês.
 
 
 
(a versão portuguesa do livro é diferente à usada na foto mas eu, admito, prefiro a versão de capa dos nossos irmãos brasileiros)