Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 28 anos*

Um Mar de Pensamentos

Vamos descobrir como é que se vive em diferentes partes do Mundo?

Creio que nunca o mencionei, nunca o escrevi mas, para lá dos livros e da escrita, tenho outra paixão: a decoração. Adoro deambular pela internet e descobrir novas formas de decoração, perde-me em detalhes que transformam ambientes e descobrir novos designs e estilos arquitectónicos de habitação. Morasse eu sozinha, tivesse eu o meu próprio espaço, e teria uma casinha recheada de livros, fotografias, flores, quadros e pequenos enfeites de detalhes. Não é o caso. Portanto, limito a pesquisar e a descobrir novas formas de decoração. Numa dessas minhas deambulações virtuais, descobri a Homify, um site que reúne formas distintas de decoração dos espaços habitacionais e dicas úteis para o lar. Partindo da questão como é que se vive nos diferentes países do Mundo, a Homify elaborou um artigo interessante, através das respostas obtidas pelos seus leitores, sobre aspectos decorativos e habitacionais em países como a Argentina, Brasil, Alemanha, Reino Unido, França, Índia, Itália, Japão, Países Baixos, Polónia, Rússia, Espanha, Coreia, Turquia e, obviamente, Portugal.

 

Captura de ecrã 2015-10-20, às 23.03.01.png

A vodka não pode faltar numa cozinha na Polónia? Onde é que os espanhóis realmente fazem a sua sesta? Quais são as regras de uma casa alemã? Afinal, como é que vivem as pessoas nas suas casas?

 

Vamos descobrir como é que as pessoas vivem em suas casas? Assim vive o Mundo...

 

Captura de ecrã 2015-10-20, às 22_Fotor_Collage.

 

 

* (para a Homify)

O meu livro clássico inglês favorito,

5018166459_d1259897d4_b.jpg

 Jane Eyre, de Charlotte Brontë.

 

Li, recentemente, três clássicos da literatura inglesa: O Monte dos Vendavais, Jane Eyre e Orgulho e Preconceito, por está ordem. Os dois primeiros das irmãs Brontë, Emily e Charlotte - respectivamente -, o último de Jane Austen. O meu preferido é Jane Eyre. Simplesmente encantador, apaixonante, cativante! 

Eu queria escrever,

mas esqueci o que texto que tinha preparado mentalmente. Procurei transpor, ainda e em linhas gerais, as palavras que queria dizer mas, vai-se lá compreender como, não consegui e acabei por perder o dito papel. Sou péssima blogger. Nunca sei o que escrever. Nunca tenho o que escrever. Odeio quando isto me acontece... é por estás e por outras que eu não escrevo todos os dias. 

 

tumblr_lu6ackq3b11qb4hv5o1_500.jpg

Por falar em política,

também tenho algo a dizer. Não é que a minha opinião seja qualquer coisa de relevante. Quem julga que vou escrever uma espécie de tese sobre o actual estado da política portuguesa, aconselho a parar precisamente agora a leitura.

 

A verdade é que eu nunca gostei de política. Fugi, na faculdade, sempre de disciplinas orientadas para a política ou leccionadas por professores demasiado politizados. A política é daqueles temas que, a par do futebol, evito debater. O único plano que me interessa da política é aquele que diz respeito aos aspectos sociais, ou seja, educação, família, cultura, envelhecimento, juventude e emprego. Reconheço, no entanto, que estás áreas não se dissociam das restantes. Sou, em resumo, mais uma jovem que não vê na política qualquer verdade ou interesse. 

 

55f2cd630cf21392a0b27616.png 

 

No entanto, também eu tenho algo a dizer sobre os últimos falatórios. Nada de especial. Uma opinião pessoal. Não gosto do homem do submarinos, Paulo Portas, nem do Coelho mentiroso. Pergunto-me, ainda hoje, como é que os portugueses voltaram a elege-los. Certamente, seguindo a linha de pensamento destes portugueses. E, juro, o meu voto nas últimas eleições não foi para estes senhores... Não gosto do António Costa. O homem não se decide. Não sabe o que quer. Hoje diz uma coisa, amanhã outra. Os três homens mencionados podem, muito bem, formar um partido político. Sofrem ambos do mesmo problema: mentir. Gosto da Catarina Martins. A mulher parece-me ter fibra e personalidade fortes. Aplaudo-lhe os discursos. É sangue novo na política, tendo conseguido unir um Bloco dividido. Confesso, simpatizo com esta geração de bloquistas. O Jerónimo de Sousa é, por seu turno, um avozinho com ideias um bocadinho utópicas a precisar de reforma... para bem do próprio partido. Para finalizar, o deputado do partido PAN-Pessoas, Animais e Natureza parece-me um ser alienígena... do pouco que já o ouvi falar, o senhor parece necessitar de uma dose de realidade. 

 

Por falar em política... aqui fica a minha opinião sobre os últimos acontecimentos nacionais. Nada de importante, apenas uma singela opinião. Em resumo, por falar em política, vai tudo dar ao mesmo... e foi isto que expliquei, ontem, a uma amiga partidária do JSD/PSD.