Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 29 anos*

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 29 anos*

24 | Coisas de blogger... seis factos mentirosos!


M*

30.04.15

Os desafios regressaram em força e o dia de hoje, quinta-feira, é dedicado a publicar quase todos. Fica-me a faltar um mas, esse, requer mais tempo e dedicação. Portanto, o último desafio do dia partiu das meninas Ana e Magda, dos blogues e respectivamente, De Repente Já Nos 40!!! e StoneArt Portugal.

 

O desafio apelidado tag That's True? ou Descubram As Agulhas No Palheiro - pelos vistos, existem dois desafios semelhantes - consiste em,

      - listar factos verdadeiros e falsos sobre mim,

      - indicar dez blogues para responder à tag.

E, para ficar no meio termo dos dois desafios, optei por criar uma lista de dezasseis factos,

 

Factos Sobre Mim

 

(seis dos factos abaixo listados são falsos)

 

1. O vermelho é uma das minha cores preferidas.

2. A minha madrinha de curso nasceu num país africano.

3. Tive aulas de francês no ensino secundário.

4. Gosto imenso de jogos de futebol. 

5. Um dos meus livros favoritos foi escrito por um senhor nascido no Afeganistão.

6. Costumo ler livros em francês. 

7. Usei aparelho quando tinha uns dez anos.

8. Já enviei postais para a China.

9. Sou viciada em chocolate branco. 

10. Uso óculos desde os três anos. 

11. Tive um blog alojado no blogspot.

12. Sou bastante introvertida.

13. Não gosto do verão.

14. Já pintei o cabelo de azul. 

15. Habitualmente, compro livros no facebook. 

16. Nasci em Caracas. 

 

Convido os bloggers m-M, Effy_Edwards, Acertos de uma Miúda, Just Smile, Catarina, Van, Andreia, Bata & BatomCabanas a responderem ao desafio... o décimo fica em aberto para quem quiser roubar o desafio. 

 

Por fim, quero ver quem descobre as minhas seis mentiras acima 

 

Obrigada Miss Ana e Magda!

23 | Coisas de blogger... as perguntas da Van!


M*

30.04.15

A Van, do blogue Nuages Dans Mon Café, convidou-me a participar em mais um desafio, cujas regras são:

- Responder às perguntas colocadas (e dizer somente a verdade!);

- "Criticar" o blog que te nomeou.

- Nomear no mínimo um blog que sigas, a responder às perguntas e a criar uma pergunta facultativa que queiras saber sobre aquele(s) blog(s) em especial - quando esta questão é feita por quem te nomeou, não a podes repetir aos próximos nomeados.

 

Captura de ecrã 2015-04-30, às 00.04.03.png

 

As Perguntas do Desafio

 

1. Porque é que criaste o blog?

O blog é o meu escape à realidade, o meu diário, um sítio onde escrevo de mim, para mim e para os outros, onde desabafo. Creio-o porque, no início de dois mil e catorze senti necessidade de um sítio para desabafar, sem julgamentos ou receio de pensar e mostrar-me como sou. Precisava, igualmente, de um escape à minha realidade ou, seguramente, daria em louca... para além de não ter amigos e de sentir necessidade em falar. Foi uma fase bastante complicada, à beira de um início de depressão e, portanto, escrever foi uma das melhores soluções.

 

2. O que é que te inspira?

 Pequenos nadas do dia-a-dia.... livros, sorrisos, sol de inverno, frio, mar, uma criança.

 

3. Pessoas importantes para ti que sabem do blog?

Os meus irmãos sabem que tenho um blog mas não sabem qual. Há alguns bloggers que conhecem o rosto de quem escreve e, acho que é só.

 

4. Já tiveste algum comentário menos bom/feedback negativo?

Oh, sem dúvida. Um pouco de tudo. Mas, é como digo: não escrevo para ter fama, escrevo para me distrair da minha realidade. Funciona como uma espécie de terapia. 

 

A Pergunta da Van

 

Qual é a tua rotina na blogosfera?

Escrevo, geralmente, ou durante a manhã ou à noitinha, depois das 21h. Preparo os textos, conforme a minha criatividade me permite, para publicar no dia seguinte ou ao longo da semana. Confesso que não tenho muito tempo para escrever. Quando me apetece escrever é quando não posso e, depois, desvanecesse a ideia. Procuro visitar e comentar quem me visita e quem eu gosto mas, a verdade é que, não é muito fácil... ou porque o tempo não é muito, ou porque não sei o que escrever, ou não estou virada para comentar. 

 

Crítica ao Nuages Dans Mon Café

 

Gosto muito do blog da Van e é-me, com toda a sinceridade, difícil de apresentar críticas ao cantinho dela. Gosto da escrita, dos temas, dos projectos, do layout/template do blog. Porém, apesar de gostar do layout/template do blog, fundo branco em letras negras, prefiro o simples ao complexo e, pessoalmente, acho que a barra esquerda (? eu troco-me, portanto, se estiver errada, avisem-me) está um bocadinho sobrecarregada... provavelmente, optaria por retirar algumas imagens, como no caso do separador "séries".

 

Nomeados/Vítimas

 

Nathy

Miss Ana

Just Smile

Magda Pais

Sofia Margarida

 

Com a pergunta...

 

O que é que não suportam num blog ou blogger?

 

Obrigada Van!

 

22 | Coisas de blogger... as perguntas do liesbter award.


M*

30.04.15

O Liesbster Award continua a fazer vítimas. Desta vez, o desafio foi-me lançado pela Acertos de Uma Miúda e, tendo em conta que já respondi várias vezes a este questionário, fico-me pelas onze questões da Miúda.

 

18322167_7sFab.jpg

 

1. Um medo ou uma curiosidade sobre o futuro.

Medo: a solidão e a doença.

Futuro:

 

2. O que levas sempre contigo, não importa onde vás?

O telemóvel e um livro. 

 

3. O que farias com os teus “quinze minutos de fama”?

Sinceramente? Nunca pensei nisso. 

  

4. Sites que visitas todos os dias?

Sapo, facebook e sapo blogs... e, presentemente, as câmaras às quais me candidatei no âmbito dos estágios PEPAL (devagar, devagarinho... quiçá em dois e quatrocentos se decidam a lançar as listas dos candidatos a entrevistas!).

 

5. Uma declaração que te deixaria sem reacção?

Não gosto e nem sei como demonstrar sentimentos. Por isso, tudo o que seja feito de surpresa, deixa-me sem reacção.

 

6. Acreditas no Karma? Porquê?

Sim. Acredito que tudo o que fazemos, bom ou mal, cedo ou tarde, será retribuído. Acredito que a vida se encarrega, com tempo, de nos retribuir o pior e o melhor do que já fizemos ou fizeram.

 

7. Uma coisa que te deixa com vergonha.

Línguas, falar línguas. Seja em inglês ou em espanhol, estou sempre à espera do momento em que tropeço numa palavra e me envergonho. Talvez porque, quando me mudei para Portugal, tive uma professora do ensino primário que me ensinou a falar e escrever português à força das réguas de madeira, bem como colegas que gozavam com os meus constantes tropeços no português. Estes episódios marcaram-me bastante, ao ponto de renegar a língua materna, o espanhol. 

 

8. Arrependes-te de algo que não fizeste?

Arrependo-me de várias coisas, do que não fiz e do que não disse. Ainda assim, das coisas que mais me arrependo foi ter optado por continuar a estudar, após finalizar a licenciatura, na mesma cidade, por diversos motivos que hoje me parecem parvos, e não ter optado por frequentar o mestrado noutra Universidade. 

 

9. Se te apagassem a memória todos os dias, mas te pudesses lembrar de uma coisa, qual seria? Porquê?

A infância na Venezuela e o dia em que a minha irmã entrou na minha vida. Quando mudamos de país, não tive a melhor recepção e, portanto, os melhores episódios foram vividos lá. Lá era rebelde e refilona, cá através das réguas, fechei-me em mim, tornei-me introvertida e muito calada. 

 

10. Acreditas na vida para além da morte? Porquê?

Bela questão! Acredito que sim, acredito que voltamos sempre à vida, num outro corpo, numa outra pessoa, quando falhamos a missão para a nossa existência. Quiçá seja estúpido mas, acredito piamente que todos temos uma missão a cumprir, embora nem sempre seja fácil de o desvendar. 

 

11. Sete coisas que querias muito que acontecessem?

    1. Um emprego fora da minha área ou para a qual me formei (difícil, difícil, difícil).

    2. Um amor, amigo e companheiro.

    3. Viajar até à cidade onde nasci na Venezuela (eu sei, sou louca mas, não nasci na capital Caracas).

    4. Emagrecer um bocadinho (difícil, tendo em conta que mais de metade de mim é feita de preguiça... mas, prometo que vou às aulas de zumba e tentar não desistir no primeiro mês.).

    5. Viajar pela Europa, acompanhada e de comboio.

    6. Constituir família.

    7. Ser rica ou, pelo menos, não andar a contar os poucos trocados que tenho; pobre já o sou todos os dias. 

 

Obrigada Acertos de Uma Miúda!

Uma questão de cor,


M*

29.04.15

No mundo, todos os dias um negro é morto pela polícia ou forças de segurança. Ninguém deve ser julgado pela cor da sua pele.

STOP é o nome da campanha promovida pela organização portuguesa SOS Racismo que pretende denunciar os abusos das forças policiais sobre cidadãos negros em todo o mundo. Para evitar que a campanha se focasse num único país, tornando-a num alerta universal, a organização usou um carro de polícia e uma farda fictícias.

 

Captura de ecrã 2015-05-12, às 23.59.08.png 

 

Uma excelente campanha que nos leva a reflectir sobre a questão da cor e da raça, o poder e os abusos. 

(in P3)

15 | Na minha estante... Glória Mortal.


M*

29.04.15

9789898032423_1229687158.jpg

 Glória Mortal de J. D. Robb, pseudónimo de Nora Roberts, remete-nos para um cenário futurista, de crime e mistério. 

 

Eva Dallas é considera a melhor tenente da polícia de Nova Iorque. Uma mulher recheada de mistérios, ideias fixas e apaixonada. A primeira vítima, uma procuradora famosa e acarinhada, do ministério público da cidade, é encontrada num dos cantos mais estranhos da cidade, numa noite de chuva. A segunda, uma promissora actriz, no próprio apartamento. O que as ligas, para além de referências e caras conhecidas do público, é Roarke, o seu companheiro. Eva é obrigada a investigar uma longa lista de suspeitos, explorando todas as hipóteses, rumores e pistas, envolvendo homens de poder e perigo. Um livro recheado de mortes no meio televisivo, mostrando as disputas entre os diversos meios.

 

Nunca tinha lido nada de Nora Roberts/J.D. Robb. Provavelmente, nunca o teria feito se não fosse pelas meninas do clube das pistogas que lêem - composto pela Magda, Sofia e Nathy. Foram elas que deram o mote à leitura conjunta deste livro que, de outra forma, nunca teria lido. 

 

Nunca senti interesse em ler algo desta autora, embora reconheça que possui uma escrita interessante, envolvente, misteriosa. As críticas sobre a escritora norte-americana são excelentes e cativantes, sempre me falaram maravilhas sobre os livros dela mas, sempre senti desconfiança. Ler Glória Mortal serviu para confirmar as minhas suspeitas... acabei por não gostar e, bem sei que fui a única do clube a considerar penoso e de opinião negativa. A dada altura só queria desistir mas, lá consegui, rapidamente, chegar ao fim e esquecer a enorme desilusão que senti em ler J.D. Robb/Nora Roberts. Não sou apreciadora de policiais mas, apesar disso, optei por dar uma chance ao livro. O que me desiludiu foi o cenário futurista imaginado pela escritora. Glória Mortal passa-se em 2058, na era dos carros voadores, dos robôs como empregados de café e, segundo a escritora, das missas celebradas em latim. Não gostei dos cenários elaborados pela escritora embora, lhe admire e inveje a enorme criatividade para tais imaginações mas, para ler sobre um futuro tão distante e aparentemente tão pouco interessante, prefiro imaginar. O final, apesar das teias de interesses elaborada pela escritora, é um tanto ao quanto previsível.

 

Eu não gostei - desculpem meninas -, dificilmente voltarei a ler algo desta escritora mas, ainda assim, é uma leitura recomendável aos apreciadores de policiais, futurismo e suspense.

 

Glória Mortal é o segundo volume da Série Mortal de J.D. Robb/Nora Roberts; conta com mais de quarenta livros na série, cerca de quinze foram publicados em Portugal, tendo sempre como protagonistas a tenente Eva Dallas.

 

Os mortos eram a sua profissão. Vivia com eles, trabalhava com eles, estudava-os. Sonhava com eles. E porque isso não lhe parecia suficiente, num recanto profundo e secreto do seu coração, sofria por eles.

 

Hora de cuscar as opiniões dos restantes elementos do clube:

Magda, Sofia e Nathy.

13204_1577566269150315_5609953444683015600_n

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

* (mais sobre o livro e a autora em Saída de Emergência)

Pág. 1/7

Mais sobre mim

foto do autor

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D