Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de M*

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de M*

A felicidade é uma estante.

Os meus livros, até ontem, não tinham um local próprio para viverem, ou seja, uma estante onde fossem expostos. Ou melhor, até existia uma estante que foi colocada, à uns três anos, no quarto da minha irmã. A velhinha estante, é agora suporte de livros e material escolar de uma estudante de artes. Um erro caro. Na época, estudava fora e os meus pais só deram conta do erro em colocar a velhinha estante no quarto da minha irmã quando, em dois caixotes, trouxe os livros que tinha... nem eles tinham consciência, nem eu. Portanto, desde o meu regresso a casa e até ontem os meus livros ocupam um cesto que, outrora fora suporte para um cabaz e o à muito desligado radiador - quando nos faltam suportes, jogamos com o meio. Até ontem, o panorama dos meus livros era desolador, amontoados uns nos outros... mas, tudo mudou quando o meu pai e o carpinteiro chegaram com a nova estante. Forte, de prateleiras fundas e compridas, foram poucos os livros para uma estante como esta. Os meus livros ganharam nova morada e a estante parece colorir o espaço que agora ocupa... a felicidade é uma estante, o momento mais feliz do dia.

Eis um bocadinho de mim...

Quando for grande...

... quero dançar como estes rapazes!

 

 Yanis Marshall

 

Aliás, eu já era uma mulher feliz em conseguir aguentar-me num daqueles saltos sem mandar um valente trambolhão (sim, sou menina para cair de salto alto, baixo ou de ténis). Dançam mil vezes melhor do que muitas mulheres julgam...

Sobre o gravíssimo fanatismo...

O meu irmão apareceu, à uns dias, na Sporting TV. Um bocadinho de nada, numa casa de adeptos, uma coisa minúscula que nem se notava. Quase teve um enfarte. Quase desmaiou. Quase tudo... Era tal o entusiasmo que quase chorava. O meu irmão, um homem quase feito, teimoso que nem uma mula, quase chorava por aparecer no Sporting TV. O grau de fanatismo do meu irmão é este. Grave, muito grave, certo?

O meu irmão é o mesmo que, com uns 15 anos, ainda não sabia se queria ser portista, benfiquista ou sportinguista... sim, ele passou de troca-clubes, vira-casacas ou o que lhe queiram chamar para um fanático louco pelo Sporting. 

É, nestes momentos, que acredito piamente que o rapaz foi trocado na maternidade, adoptado ou um extraterrestre enviando para testar alguma coisa...  

Um mar de livros... estou a ler,

Mensagens

Mais sobre mim

imagem de perfil

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.