Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 29 anos*

Um Mar de Pensamentos

Um mar de leituras. Um mar de sonhos. Um mar de conquistas, lutas e fracassos. Um mar de mil pensamentos. O diário de Maria, 29 anos*

A caminho dos 26.


M*

30.04.14

Nunca soube explicar nem tão pouco entender o porquê deste fascínio, mas o número 26 sempre foi um dos números mais importantes. Não, não faço anos nesse dia e não conheço ninguém, entre amigos, conhecidos e familiares (se calhar até existem mas não são importantes), que façam anos a dia 26. A verdade é que este número sempre foi o meu preferido. Embora possa parecer estranho, associava-o a algo bom e positivo na minha vida, algo relacionado com a minha idade ou, em alternativa, a um dia marcante (mas, nem o meu extinto ex-relacionamento começou a um dia 26 e, se terminou nesse dia, não me lembro)

A pouco mais de um mês de completar os 26, no mês de Junho, dou por mim a reflectir sobre o valor desse número. Sempre acreditei, ou tentei acreditar, que o significado que atribuía aquele número significa que, uma vez atingida essa idade, teria uma vida totalmente distinta à que realmente tenho. Ou seja, quando completasse os 26, imaginava-me a viver sozinha, num emprego (minimamente) estável, a viajar, a ser feliz, a compartilhar os meus dias com alguém que, no presente, não tenho. Imaginava uma vida totalmente distante... quiçá, e porque não, imaginava-me à espera de um primeiro filho.

Porém, quando completar os 26, daqui a pouco mais de um mês, estarei sozinha, desempregada, sem amigos, sem viajar, a morar em casa dos pais... e, inevitavelmente questiono-me onde errei, se os caminhos que escolhi foram os mais correcto, se as escolhas que julguei serem erradas não seriam, na verdade, as mais correctas. Por outro lado, já tentei imaginar a minha vida para lá dos 26 e, por qualquer motivo, não consigo imaginar nada mais... simplesmente, parece que não existe vida para lá daquela idade. 

É um olhar em redor e ver a facilidade com que a vida se coloca a quem nos rodeia e sentir que alguém se esqueceu de nós.

Desabafos # 2


M*

26.04.14

Sabes que algo vai mal na tua vida quando, as únicas mensagens no telemóvel que recebes são da tua rede, campanhas da well's e publicidade do pingo doce. 

Quão negativo e deprimente pode ser a vida de alguém assim? 

Em dias de chuva...


M*

25.04.14

... tenho vontade e necessidade de ...

Hoppípolla

Sabe-me tão, mas tão bem! Alegra-me! Deixa-me de sorriso no rosto e um gostinho a saudade do tempo de menininha. 

Mulheres com curvas.


M*

24.04.14

Para quem acha que mulheres com curvas não são sexy's, aqui fica a prova do contrário. 

A inspiração que me faltava - para, nas próximas compras, não deixar de lado alguma peça porque é só para "magras" e só a elas fica bem - e que pode ser descoberta aqui.

Para o Dia Mundial do Livro ...


M*

23.04.14

... pensei em muitas formas de festejar algo que me dá um enorme prazer, mais do que ver séries ou filmes. Pensei em escrever, dizer o quão excelente é a leitura, como a minha imaginação voa e cria cenários extraordinários, como as horas passam quando leio. Foi então que relembrei as palavras de um autor que me fez relembrar o quão valiosa pode ser a leitura. Trata-se de um dos meus autores preferidos, que me faz desejar, a cada novo livro, conhecer a cidade daquelas personagens...

 

Até então para mim as leituras eram uma obrigação, uma espécie de multa a pagara a professores e tutores sem saber muito bem para quê. Não conhecia o prazer de ler, de explorar portas que se abrem na alma, de nos abandonarmos à imaginação, à beleza e ao mistério da ficção e da linguagem. Tudo isso para mim nasceu com aquele romance.

 

Alguém sabe de que livro se trata?

 

Aquele livro mostrou-me que ler me podia fazer viver mais e mais intensamente, que me podia devolver a vista do que tinha perdido. Só por isso, aquele livro que não importava a ninguém mudou a minha vida. 

 

A verdade é que eu já gostava de ler, só não o sabia ou não entendia essa necessidade que o tempo desvendou.

Antes de redescobrir o prazer da leitura, li livros que deixaram gosto de saudade mas, ou porque o tempo não permitiu ou por não compreender o sabor que a saudade de um livro deixava, foi lendo esporadicamente. Até que, por mero acaso ou obra do destino, esbarrei neste livro... E, enquanto as minhas amigas e colegas suspiravam  por um Christian Grey, eu suspirava e sonhava conhecer a Barcelona de Daniel.

Daniel Sempere em 'A Sombra do Vento' é, de entre um conjunto de personagens masculinas, uma das minhas personagens mais queridas e o seu autor, Carlos Ruiz Zafón um dos meus preferidos... 

 

Cada livro, cada volume que vês, tem a alma. A alma de quem o escreveu e a alma dos que o leram e viveram e sonharam com ele. 

 

Provavelmente, uma das melhores frases se que, para mim, traduz o sentimento que deposito em cada livro que vou lendo. 

 

Termino este dia com a partilha de um fantástico e delicioso vídeo sobre livros que descobri através de uma amiga, igualmente víciada na leitura...

 

Os fantásticos livros voadores do senhor Morris Lessmore.

Pág. 1/5

Mais sobre mim

foto do autor

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D